♥ As mais preciosas jóias... ♥

Edição VISUAL do Bloinquês

(((o)))o(((o)))o(((o)))


_Pai, me escuta! Vem cá!
_Agora não posso, estou indo trabalhar!

_Só um pouquinho, papai! Preciso te mostrar uma coisa que aprendi e nunca consigo!

_AH! Agora não dá! Tchau! Até a noite!
Esse foi o modo como Ritinha iniciou mais um dia . Ela acordava cedo para ser levada pela babá à escolinha.

A mamãe saía cedo para o trabalho, antes mesmo do  seu pai.
À noite, ambos voltavam  para casa e ritinha já dormia. Chegavam tarde.

A vida era dura.Precisavam tanto ter. A mãe queria  poder mostrar as lindas jóias no escritório onde trabalhava , para ser alvo de inveja das amigas. Ela se sentia poderosa com aquilo.

O pai, fazia empréstimos , se "enfurnava" para ter sempre o carrão mais potente e moderno...Isso o fazia sentir-se "machão"...

 Nem se davam conta que havia alguém, naquela casa, que não havia pedido para nascer, mas estava ali.  Era criada sem carinho e amor.

Apenas passavam os dias por lá!
E Ritinha foi crescendo.  Com o tempo, nem mais pediu nada os pais.

Estava agora já no seu 3º ano da escola e os pais, dela por lá nada sabiam. Nas reuniões não compareciam. Não tinham tempo. Essas eram as justificativas... Mas para jantares com amigos e festas, esse havia.

Um dia, à noite, ao lado da cama dos pais, um envelope, com um convite.

Venham assistir a peça do meu teatrinho na escola.

Será dia 17 de julho, 20 horas.
O nome da peça:  

"O que o amor pode fazer"

Espero vocês!


Os dois se olharam e desde logo, passaram a em suas cabeças, a inventar alguma desculpa. 
_Ah! Colégios e essas besteiradas. Não sabem que não temos tempo para bobagens?- pensavam!

Chega o dia , hora do teatrinho.

Ritinha contracenava com o professor de Educação Física que, nas horas vagas, era ator também. Adorava aquele trabalho.

Tratava-se  na peça,de uma menina sem amor e carinho , deixada de lado pelos pais e família e que um dia, encontrou uma pessoa que dela se importava. Passaram a ser amigos e confidentes. E houve uma mudança radical na vida daquela protagonista. Havia reaprendido a sorrir.

Seu pai a ajudava nos  brinquedos, sua mãe lhe contava histórias e o pai, gostava de se divertir, inventando penteados diferentes naqueles lindos cabelinhos e tantas coisas mais, sempre que podiam, juntos...

A peça acabou, a platéia aplaudiu muito e claro, Ritinha não pode ver os pais por lá.

A babá a levou de volta para casa, tentando lhe animar.
Mas Ritinha estava triste demais. Naquela noite não conseguiu dormir, teve febre...

Somente quando voltaram para casa no dia seguinte, a babá lhes contou que Ritinha não estava bem.

_ O que houve? Deve ser essas coisinhas de crianças. Falaste com o pediatra? -Perguntavam.

 _Sim, ela está medicada. Porém sinto que devo lhes mostrar um vídeo que fiz com meu celular...A qualidade não é boa, meu celular é comum, dos baratinhos, mas dá para passar a mensagem...

Nessa hora, mostra a peça ali registrada.  

Os pais se olharam, viram a alegria de Ritinha junto aquele homem estranho que ,passava amor, ainda que no palco.

E viram a filha sorrindo em cena.

-Há quanto tempo não víamos isso? 

Aquilo foi um "despertador" que tocou.  Ainda era hora, ainda dava tempo.

Foram até o quarto, deram abraços, beijos, cancelaram o trabalho no dia seguinte e se dedicaram à ela. Deram folga à babá e por um dia, assumiram a filha.

Foi lindo de ver ...
E o melhor: aprenderam a lição!

Agora, Ritinha sorria e seu sorriso vinha do coração.

Hoje será dia da reunião na escola e ambos comparecerão. Verão pela primeira vez a professora de sua filha.
Um dia que ficará marcado para todos!  Tiveram tempo de recuperar.Ainda bem!

E só tem a agradecer à Verônica, a babá especial que lhes abriu os olhos...

Todos estão felizes agora, trabalham, continuam sus vidas normalmente, mas as prioridades são outras, bem diferentes.

 Resolveram priorizar o amor e família, jóias muito especiais e que ninguém pode  comprar...