♥Olhares, fios, lembranças... ♥



Imagem daqui


Jéssica no trem, vendo à sua frente, jovens ligados a  fios em seus telefones...

Voa ao passdo...

Chega até um 4º andar de um prédio...

Ela era ainda uma menina que estava sempre em casa. Seu dia a dia era ir à escola e retornar...
Morava numa cidade grande e suas saídas eram sempre acompanhadas dos pais.

Seu mundo era uma janela e, ainda assim, por ter uma irmã menor, essa era gradeada, por segurança.

Ali ela via tudo, dali,ela via a vida...

Dali também, com seus quatorze anos, via entrar e sair do prédio, rapazes, estudantes e moradores em duas "repúblicas" que, longe de suas famílias , buscavam a cidade grande para estudar, fazer uma universidade para depois, trabalhar.

Eles moravam no 8º andar...

Jéssica era bonitinha e sobretudo, simpática e, a cada passada deles por lá, abaninhos, acenos, sorrisos de baixo par cima ou de cima para baixo...

Encontros no elevador, à hora de ira para a escola, eram sonhados...

Um dia, a criatividade de um dos rapazes, fez chegar até ela, na sua janela, um fio com bilhetinho carinhoso.

Ela respondeu, ele puxava a cordinha de volta e esse passou a ser um meio de se comunicar...

Uma comunicação linda, inocente e, para os pais, Jéssica estava em seu quarto, tranquilinha, estudando.
E ela, namorando por meio de fios...

Por vezes, a linda era mais curta e Jéssica tinha que subir no parapeito par alcançar o bilhete. Ainda bem, havia a grade  de proteção...


Hoje, Jéssica recorda, lembra e pensa...

Faz uma comparação entre os fios de sua vida de adolescente e os de seus netos...

Também eles estão ligados a fios, tantas vezes perigosos, à internet, redes sociais...

Mas ela bem sabe que, naqueles SEUS FIOS também, como hoje, poderia moar o perigo...

Olha à fente, vê o sorriso nos lábios da jovem e deduz:
_Lindo namorico  deve estar acontecendo! Tomara, pensa, logo a seguir!

Assim, concluiu mais uma vez:  Em tudo, com equilíbrio e cuidado é preciso!

Até nos mais diferentes tipos de fios...

Há os que unem, mas os que podem até "enforcar"!