♥ Vivendo a vida... ♥





Edição Cartas do Bloinquês:

Tema: E eu temo a resposta, mas insisto.

(((o)))o(((o)))o(((o)))

Dias de correria,tanto a fazer naquela loja. 

Mercadorias chegando, renovação de  estoques, vitrines as serem mudadas. 
Berenice sente uma dor forte, muito forte  no abdômen que quase a imobiliza...
Respira fundo.Tenta disfarçar, mas quem a vê percebe.

É levada com urgência ao hospital, onde o marido, avisado, já também adentrava nervoso.

Atendida e após  exames  de imagens, verificada a  necrose de seu intestino e seu ventre tomado de sangue internamente.
Reunida equipe de emergência, foi assim feita a cirurgia. Retirada de grande parte dele. Ela passava mal, muito mal. Corria risco de vida!

Ao acordar, já  no dia seguinte, se vê na UTI onde lhe explicam a gravidade do caso e dos cuidados que ainda teriam pela frente ,paciente e médicos.

Ela dizia pra si mesma:

_Não será dessa vez! Sou teimosa como uma mula manca!!Vão me aguentar muito!!!

E assim, pouco a pouco, mostrando -se forte e cheia de garra, recuperou-se e voltou para casa.  Mas, uma pulga ficava na cabeça de quem à volta dela estava.

O material retirado, havia sido mandado para biópsia e aguardavam o resultado.

Todos ,por mais que fingissem, demonstravam o temos estampado em seus rostos. 

Passaram-se os quinze dias e a família  não queria que ela nada fizesse . No entanto, até para loja ela já havia retornado, trabalhando menos, mas presente por lá. Sentia-se bem e se ocupando, o tempo passava mais rápido.

Um belo dia, Julio, o marido lhe disse que à noite, traria o resultado e enquanto falava, tremia.

_ Deixa que eu retiro, ela disse. "Xá comigo", brinca...,

Nessa hora, olha  o marido e ele está suando,tremendo ao mesmo tempo. Ora, era mais uma das crises nas horas mais importantes. Ele era nervoso demais. Sobrara para ela, sem dúvida!!!

Dá uma disfarçada, leva o medicamento à ele, insiste que ele repouse e quando ele cochila, ela chama um táxi e vai até o laboratório.  Suas pernas tremiam...

Suas mãos gélidas... Mas ela respira bem fundo e pensa alto:

E eu temo a resposta, mas insisto em ir.  Tenho que encarar de frente e se inimigo houver , hei de enfrentá-lo.

Assim, desce, espera sua vez na fila, entrega o protocolo de entrega de exames, recebe o envelope.
Ao abrir, entre palavras que não entendia estava:

Não  há evidências de células atípicas.

E um monte de coisas mais, mas para ela, aquilo bastava.

Saiu de lá, entra no táxi que  esperava, pede para parar na Igreja São Pedro ,perto dali e lá, agradece.

Além de agradecer, pede força para o marido!

Ao chegar em casa, ele ainda dormia, parecendo exausto, quase em coma ...

Ao entrar no quarto, dirige-se à cama, beija-o acordando e então mostra o resultado...

Ele, todo certinho, queria logo telefonar ao médico para saber de  cada detalhe que lá estava escrito. Para ela, aquelas palavras apenas bastavam.


E , com elas, enfrentou bem toda sua recuperação e voltou a trabalhar.

Passam dois meses, ela chega em casa com um envelope.

Júlio quase cai duro,pois sempre esperava o pior.

Ela risonha, pede que o abra.

Ao fazê-lo, vê um "voucher" da compra de um pacote aéreo  para o casal para Maceió , com hotel, tudo incluído.

Ele apens perguntou:

_Tens certeza que podes? O médico te liberou?

Ela por dentro pensa.
_Putz! esse continua "cagonildo"...Se borra por qualquer coisinha. Não sabe viver a vida.

Chega o dia, viajaram e aproveitaram muito por lá.

O único senão foi que ela empolgada com o lindo mar na Praia do Francês, pisa num ouriço do mar e esse , lhe dá, de presente, inúmeros espinhos cravados em seus pés...

Mas isso, era o de menos..

Não seria um bichinho  "cabeludo e mal penteado" daqueles que estragaria a  nova lua de mel...

Deu tudo certo!
Aproveitaram e nunca mais esqueceram tantas coisas juntas passadas...

O exame? A consulta? Xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!

Nunca mais ela pensou nisso.Estava tri bem!

Quer mais a vida aproveitar!!!