Vejam no Chica brinca de poesia!!!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!
Basta clicar!

Lá no chica escreve tem...

Lá no chica escreve tem...
Cliquem pra ver!

♥ É foooooooooooooooogo!! ♥




Tomate cereja, mozzarella , manjericão apanhado na hortinha caseira, bem fresquinho...

Tudo pronto à espera do amado...

Vinho  já na geladeira...

Mesa  linda,mas rusticamente arrumada, como o lanche pedia...

Apenas bruschettas . Tinha que ser algo bem leve, ambos estavam de  dieta.

Ele chega na hora marcada, aliás, isso era  algo que a encantava. Detesta esperar!

Na chegada, beijos, abraços, matando as saudades das  vinte e quatro horas   de distância...Eram tantas para eles, apaixonados.

Logo, seguem para a cozinha do mini apartamento de Vera. Da sala, já todo apê se podia visualizar...

Mãos à obra. o prato era "dificílimo"!!!

Vera inicia a  tostar o pão  italiano cortado por Fredy!

Tosta, num maravilhoso azeite de oliva, de um lado, de outro!  Hmmmm.  Assim faz noutra fatia, noutra, noutra mais. 

Fredy, com as mãos já desocupadas, tratava de ocupá-las e chegando-se perto dela, a fez esquecer  o pão... Entregou-se. 

O cheiro, a fumaça do pão torrado, do pano que  queimara, pois estava insensatamente perto do fogão, a frigideira não mais recuperada...

Após as correrias, muitas risadas... A coisa  por lá poderia ter terminado pior!

Saíram da cozinha e todo o apartamento estava enfumaçado!

Impossível ali ficar!

Fredy lembrou  de passar pela geladeira, pegou o vinho, duas taças e foram para a entrada do prédio. 

 Lá de baixo, saborearam uma boa pizza, que chamaram por telefone, ela bem calórica ( tudo o que não queriam)... 

Fizeram um programa diferente.

Quinze anos se passaram...

O tempo voou e eles já casados,sem filhos, por opção,  entre a rotina do dia a dia.

Vera, enquanto preparava o jantar certa noite, após trabalhar como uma mula numa multinacional, olha para a sala e vê Fredy que, ainda com as roupas do trabalho já dormia no sofá!

Aquela cena que , em outros dias,poderia indicar apenas o  cansaço da parte dele,naquele dia lhe caiu mal.  Ela também trabalhava, também estava morta de cansada e ainda tinha tudo a lhe esperar, na casa,  e comidas a preparar.

Olhou para as bruschettas que  intencionava preparar,  para acompanhar com uma salada...

Olhou novamente pra sala e viu aquela cena.

Resolveu deixá-lo por lá mesmo. Preparou as suas, tomou um bom vinho...  Creio que passou um pouco da conta...

Passa pela sala, vai até o sofá... Insinua-se. Ele acorda e  dessa vez, a fumaça foi de amor apenas, mas incendiou os corações e todo ambiente exalava a amor.

Pouco depois, ele lembra da fome... 

_ O que temos para o jantar? 
_Jantar? Estás louco? A essa hora!  Eu já jantei enquanto dormias!

Ela estava exausta, mas vendo o cansaço e olhos famintos nele, resolve fazer a parte dele.

Esquece o pão novamente.Esse torra. A cena , de tantos anos atrás, se repete...

Entre fumaças, reúnem algumas peças de roupas, colocam numa bolsa e vão para um hotel!

Sua situação já permitia isso!

No restaurante do hotel, já tarde da noite, ele escolhe um prato rápido, mas, antes dele, como entradinha característica  por lá. o que surge?  Sim elas...

Quando viram aquelas velhas conhecidas, riram muito.  Ele as saboreou, jantou  por lá e foram para o quarto.

Dormiram  muito bem !Mereciam.  

Desde aquele dia, bruschettas , em sua casa, nunca mais fizeram parte do cardápio...

chica

23 comentários:

  1. Olá!
    Hehehehe....
    Adorei...de um jeito ou de outro não dava certo mesmo heim? Pelo menos as "bruschettas", rsrsrsrs...o importante que eles sabiam ver o lado bom da história e aproveitar os momentos bons!

    Um super bjo!

    Alê - Bordados e Crochê
    Fã Page

    ResponderExcluir
  2. Que bacana de postagem Chica!
    Bastou um piscar de olhos pra esquecerem novamente estas danadas....
    Ainda bem que levaram na esportiva esses episódios rss, e souberam desfrutar os bons momentos!
    Um beijão!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  3. Eheh!
    Que história incrível!
    Bj amigo

    ResponderExcluir
  4. Hehehe! Ainda bem que a pizza, mesmo calórica, os salvou da fome que não era de amor! rsrs Beijo! Renata

    ResponderExcluir
  5. Voltastes bem inspirada, Chica
    Morri de rir aqui.
    Valeu!
    Beijinhos para tí de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  6. Excente! Quanta inspiração, uma história bem visivel das coisas mudam, a diferença do antes e o depois!

    Minha querida, ontem aparecia-me um poste de despedida em todos os teus blogs, hoje não o vejo mais.

    Beijinho

    ResponderExcluir
  7. hehhe essas bruschettas não eram pra ser mesmo! Ainda bem que não fostes querida, sempre uma alegria suas postagens!

    ResponderExcluir
  8. Ei amiga voltou ainda mais inpirada heim?
    Que história incrível! Amei ler Chica
    Um super beijo

    ResponderExcluir
  9. Muita inspiração na sua história, é sempre tão bom te ler, a gente fica querendo saber o final, muitas vezes nos surpreende.
    Gostei!
    Um beijo, Chica.

    ResponderExcluir
  10. Ai que bom sua volta!
    estava me sentindo meio órfã , rsrs
    e voltou com tudo!
    uma escrita deliciosa, com um final feliz e sem bruschetas queimadas!
    só o calor do amor!
    bj

    ResponderExcluir
  11. Chica, que belas fogueiras, em todos os sentidos. Foi muito gostoso ler seu conto. Depois de anos de união, não havia apenas fumaça, mas amor. Bjs.

    ResponderExcluir
  12. oi Chica,

    mais gostoso que a brusqueta,a pizza,ou o jantar no hotel,
    é te ver de novo por aqui,
    o verde da blogosfera está sorrindo em ver essa joaninha voando novamente...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Que texto legal, sempre a cumplicidade e o amor conseguem protagonizar cenas memoráveis, lindo texto Chica, parabéns.

    Abração.

    ResponderExcluir
  14. Com bruschettas ou sem bruschettas o importante é o maravilhoso amor que os une e este texto delicioso, cheio de surpresas.
    Abração.

    ResponderExcluir
  15. Lindo, romântico e um pouco cômico. Parabéns pela habilidade ao escrever . Senti até um pouco de suspense no ar . Pensei que tudo ia acabar como nas histórias reais . Cada um pro seu lado . Que bom que o amor acabou "incendiando" novamente . Abcs.

    ResponderExcluir
  16. Bom dia Chica, tudo bem?

    Que encanto de leitura, sensual, romântico e tão bom de ler. Adorei!

    ps.: Estou pensando em voltar para o Casa de Retalhos, manter mais de um blog, assim como você. Será loucura? :))

    Beijos, e um ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  17. teu conto prende do início ao fim. por momentos pensei que o amor iria acabar, ainda bem que se entenderam, é engraçado também,rsrs bjs

    http://metamorfosearsemmedo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Chica, antes de mais nada queria dizer que fiquei aliviada e feliz!!

    Quando se preserva o encanto do amor as bruschetas e seus incêndios são sempre bem-vindos, não importa o tempo que passe!
    Gosto muito de te ler, beijos!

    ResponderExcluir
  19. Taí... eu gosto de bruschettas, mas confesso que nunca experimentei com esse acompanhamento! :) Bom texto, Chica; boa semana.

    ResponderExcluir
  20. É fogo! depois de amor aqui, amor ali, amor no hotel, as pobres bruschettas é que pagam o pato. Belo conto Chica!

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  21. Como sempre um lindo conto!!
    Amo seu carinho e suas vsts sempre
    Obrigado!!Uma linda semana !!
    Bjss

    ResponderExcluir
  22. Chicaaaaa, que linda história!
    Adorei os entrementes,))!
    Hoje é daqueles dias em que a sua historia, muito bem contada e cheia de suspense, me deu aquele riso que a cadeira até treme;))!
    Muito bom e com sentido de humor, que só os bons escritores conseguem! Ouvi um dia!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  23. Oi Chica,bom dia!
    Adoro bruschettas de qualquer jeito,menos queimadas,naturalmente,rss.Parece estar vendo cada cena dessa tua história que move nossos sentidos e imaginação.Final imepecável,parabéns!

    ResponderExcluir

✿ Coisa boa te ver aqui!beijos,chica ✿