✿ Uma carta para Verônica...✿




54ª Edição Cartas do Bloinquês:

Tema: Reencontro
É tão bacana ter a oportunidade de encontrar alguém não é mesmo? Pode ser aquele amigo de infância, o amor esquecido ou o vizinho esquisito. Tem gente que reencontra o seu próprio eu. Quem sabe? A sua tarefa é escrever uma carta contando para alguém de um reencontro. Vale tudo, principalmente abusar da criatividade!


(((o)))o(((o)))o(((o)))

Rio  dos Sorrisos, 08 de agosto de 2011.






Querida Verônica,



Te escrevo pois hoje apenas de lembrar da situação, quase fiz pipi nas calças de tanto rir...


Tenho certeza que te fará rir também e esquecer essas dores que andam te afligindo.É o que mais desejo, te ver sorrir novamente!


Vou começar, refrescando tua memória...


Estávamos sempre juntas em todos os momentos.


Passeávamos, íamos ao cinema, voltávamos da escola, sempre que nossos horários permitiam.

Assim, nossas amizades eram bastante coincidentes.

Na  nossa cidade  era usual pendurar os avisos de falecimento  dos moradores,em árvores na rua principal, e assim, todos ficavam sabendo das ocorrências.

Bem, a essas alturas, creio que já deves estar te lembrando.

Numa das passeadas após a escola, vínhamos andando,quando de repente eu olhei e vi um nome ali "pendurado"...

_Verônica! Não acredito! A D. Efigênia morreu!  CREDO!

_ Rosa, que raio de D.Efigênia é essa, disseste?

_Ora, é a mãe da Rita e Sonja.

_ NOSSA!!! COITADAS, VAMOS TER QUE IR A ESSE ENTERRO DAR NOSSO ABRAÇO À ELAS, eu disse...Devem estar arrasadas!

Concordaste de imediato e após largar nossos materiais em casa, fomos ,de ônibus ao necrotério.

 Não sabíamos em qual capela era o velório, pois havíamos esquecido, com o susto, de olhar esse detalhe no aviso.

Lá chegando,entramos com nossos olhares baixos, respeitosos, como a situação exigia.

Fomos caminhando em direção ao féretro e ao levantar os olhos, não vimos as amigas enlutadas por perto.

Cochichamos uma à outra e eu te disse:

_Puxa, não lembro de conhecer ninguém aqui...

De repente, olhamos para o defunto e...Era o AFONSO,   teu ex noivo e, nessa hora, largaste um sonoro "oh!".

E eu,  vendo tua cara de espanto, não mais consegui me controlar. Comecei a rir, aquele riso de velório,incontrolável e tu, com cara de tão consternada, passaste a gargalhar por minha causa...

Saímos de fininho rindo ainda muito, de nervosas, pois nunca imaginaste ter um reencontro assim após anos do término daquele noivado que te fizera sofrer tanto!


Lá na rua, tivemos que esperar aquele ataque passar e só então, fomos procurar o  local certo, tentando achar a D.Efigênia e lhe prestar a última homenagem.

Mas, na verdade, conseguimos apenas dar um abraço às nossas amigas e tratamos de ir embora e na hora, pediste para dar mais uma passadinha no Afonso... Após aquele reencontro , parecias até mais  tranquila.

E aí, conseguiste lembrar, com certeza e espero, tenhas conseguido dar boas risadas lembrando o nosso fiasco por lá!

Mas até isso valeu,não foi?
Agora temos coisas para lembrar!

Desejo que fiques logo bem e  possamos nos encontrar novamente em breve! Prometo lembrar mais algumas das nossas aprontadas!!!


Um beijo dessa amiga de todas as horas,

Rosa