* Numa pracinha...




Num lindo dia de sol, levei o Neno à pracinha de brinquedos.
Lá ele foi direto para o maior "trepa-trepa" e começou a escalá-lo.
A cada etapa me chamava e eu respondia:
- Te lembra que só podes subir até onde conseguires descer sozinho...
Fiquei olhando de longe e pensei naquilo que estava ensinando mesmo sem querer, para ele...
Subir na vida apenas até onde podemos nos "garantir", estar seguros, sem precisar ajuda...
Falo isso a ele pois, imaginem eu tendo que escalar até lá no alto para resgatá-lo.
Então, coloco consciência nele...
Porém, por outro lado, muitas vezes na vida, precisamos arriscar, mas sempre com a certeza e tranquilidade de que a qualquer hora, poderemos retornar com segurança, sem depender de outros.
Assim como não podemos esperar os outros para escalar, para descer e retornar também...
Podemos, isso sim, ser ajudados a subir novamente quando caímos no chão...
É complicado, não?
Ainda bem que ele não fica ainda questionando meus conselhos, senão estaria frita!
E, pensando bem, deixa eu apenas olhar o que ele está fazendo ao invés de filosofar na pracinha...
Vai, Chica, cai na real e não do "trepa-trepas"...(Chica)