♥ Driblando a D.Realidade... ♥


O relógio do tempo anda depressa...

O tempo voa...

Mudanças acontecem...

Em sua cabeça, porém ainda há gana de viver, namorar, relaxar...

Enfrentando sérios problemas,o  trabalho incessável, seu corpo extenuado,mas ainda quer brincar, divertir-se...

Entre tantas  marcações de compromissos ,esses inadiáveis, de repente, uma brecha de um dia ...

Ela voa, ainda tem a sensação de querer aproveitar com o marido, a sós em qualquer lugarzinho da Serra.

Eis que chega a D.Realidade :

_Estás louca?
Quem vai dirigir até lá? Ele não pode e tu não aguentas mais pegar trânsito tumultuado.E isso, e aquilo, e tanta "minhoca" no sonho dela colocando...

-Bom,mas então vamos jantar fora! Pelo menos isso!

Novamente a praga da D.Realidade aponta, buzinando aos ouvidos:

_ Deves cuidar com o pedido. Não poder ter sal, alimentos que aumentem o potássio e creatinina, nem pensar!
 Ela tudo ouve e como resposta, apenas isso:

&%$&#@#%&%%%$#,!!!

 Depois, menos agitada, repensa :

_Ei,D. Realidade! Precisamos conversar!
Não estou mais te aguentando,me esquece um pouco, me deixa livre!

_Estás reclamando,então? Vais ou queres desistir?

_ Claro que não!  Quando entro numa missão, nem morta dela saio, nem morta me entrego, assim no mais!

Então te "apiana", ela diz, com voz de reprimenda e conselho!

Ouve, sai dali, busca na gaveta uma toalha linda, arruma a mesa para dois, coloca um vasinho com flores, um banho perfumado, uma "roupitcha" mais legal, ajeita o cabelo e pronto...

Sentam-se à mesa...Docinhos, chá, torradas...Simplicidade, mas no capricho.

Estão tranquilos, em casa mesmo, conversando.Momento deles apenas...

Din ,dón, toca o interfone...
Putz, quem seria naquela hora? Logo hoje?

_ Mãe , estou deixando a bonequinha aqui, podes,né? Lembrei que estás de folga hoje, não tens consultas, exames, nada..
Podes cuidar dela pra mim?

D.Realidade chegando...

E por incrível que possa parecer, os dois ficam felizes e agradecem à D.Realidade que  pelo menos deu tempo para um chazinho,rs...

Enquanto sobem os visitantes, ela vai até a janela, vê um lindo entardecer...

Amanhã o despertar será luminoso outra vez!

E o cansaço não a há de vencer!

Olha, voa longe  na imaginação e  já ouve uma doce vozinha a chamando: vovó!

Pronto!  Lá se foi o cansaço!

E começa a farra, diferente dos planos, mas sempre farra e alegria!


chica