♥ No tempo certo... ♥

Foto da  Elisa Fardilha

Malas  antigas ainda faziam parte daquele museu do vovô, como Junior chamava o sótão da casa ...

Lá tantas e tantas vezes ,adentrou e o que viu revirou.

Mas aquela malas, mesmo sem cadeados, estavam chaveadas. 

Não as conseguia abrir...

A curiosidade era grande acerca de seu conteúdo.

Perguntava ao vovô e este respondia. 

 _São coisas minhas! Não te deves preocupar com elas.Deixa lá!  Eu nem posso subir!

O tempo passava. Junior avançava na idade, crescia, mas de vez em quando ao retornar ao sótão, a curiosidade mais lhe batia...

_Vovô, agora estou crescido, já sou quase um homenzinho! Podes abrir e me mostrar o que tem dentro das tuas duas malas?

 O vô, com um sorriso, pede que ele o ajude a subir os degraus para alcançar o sótão.

Junior prontamente deu o braço ao vovô e passo a passo, degrau por degrau,  o ajudou e lá chegaram...

_ Tens a chave delas? 

_ Não é preciso!

_Como, vovô? Eu já muitas vezes as tentei abrir...

 E num gesto rápido, vovô as abre, sem chave alguma...

Junior espantado vê o conteúdo. Eram selos, cartões, cartas, fitas, flores secas, lenços bordados com seu nome...

_ Só isso e tanto segredo com elas?

_Quanta velharia,vovô, dia Junior espirrando pois sentia a presença de pó ali...

Nisso, vovô pega um velho passaporte, uma passagem de navio amarelada pelo tempo.
 Abraça-o ao peito e seus olhos se enchem de lágrimas.

_O que foi,vovô?

Esse  foi o dia em que deixei minha pátria para trás. Saí da Itália em busca de trabalho . Nesse dia, foi o último em que vi minha mãe, meus avós...
Foi triste,nem podes imaginar!

Mas se não tivesse dado esse passo, não estarias aqui.   Saindo de lá, encontrei tua avó, tivemos nossa linda e grande família aqui e hoje temos a ti e aos demais netinhos...

Os dois se abraçaram naquela hora e fecharam a mala. 

 _ Vovô, só uma coisa ainda me deixa intrigado.

_O que é?

_ A mala que se abriu apenas pra ti!

_ Ora, isso é um segredo.Mas vou te contar!  
Quando a fechei pela última vez, como não tinha mais as chaves comigo, pedi que  ninguém as conseguisse abrir antes da hora certa.Parece que fui atendido!

E foi isso,só isso que aconteceu!  Agora, mesmo se vieres nelas mexer, estás grandinho e saberás dar o valor a cada coisinha, ainda que te pareça boba, de seu conteúdo.  

 Mas que fique só entre nós  esse "segredinho",tá?
Assim, acordados, de braços dados, descem a escada...

 Entre eles, a cumplicidade maior ainda!

E uma lição,quase sem perceber foi passada:  Nem sempre precisamos chaves para trancar...

 As pessoas devem estar aptas para conseguir abrir...

Tudo chega na exata hora!

chica