♥ Murmúrios de uma borboleta... ♥


Anos e mais anos  sentia-se presa.

Uma borboleta presa, dentro de uma redoma.

Apenas nos lugares restritos podia voar, apenas em círculos...E ela ansiava por liberdade.Voos longos, muito longos!

Lá de dentro via e acompanhava a rotina.Sempre que  naquele aposento,  Dona Margareth  chegava.

Ali ela passava todos os dias cedinho pela manhã, lia com auxílio de uma grande lupa palavras da Bíblia, que estava naquela espécie de altar, onde eu em minha redoma igualmente me encontrava...Lia, resmungava, fazia muxoxos e de lá saia.

A rotina era idêntica a cada dia...

Num desses dias, sentindo minhas asas pesadas, estranhas, senti que meus dias estavam perto de ter fim. Sentia-me parecendo despedir-se dos voos, ainda que restritos, mas sempre voos e movimentos.  Estava quase parada, quase ,quase...

Num último olhar, vi adentrando Dona Margareth. Fui até onde ela me podia ver bem.
Bati, bati,bati minhas asinhas  num esforço fora do comum e ali pensei:

_ Eu aqui dentro e ela ali fora, somos prisioneiras. Ela de uma rotina que se impôs e eu, de uma que me foi imposta.
Mas ambas presas, ambas deixamos de viver a vida.

Nessa hora, as asinhas pararam, meu corpo caiu................