♥A força de um amor... ♥



Era inverno...

Lenira e o marido, num dos consultórios da vida, encontram um casal.  Logo ao vê-los perceberam que não estavam bem.

Como estavam próximos, a conversa aconteceu e por ela, souberam que eles atravessavam  grosso e denso nevoeiro na vida, mas que ainda assim o velho casal não desanimava.

Foi-lhes então narrado: Filho que tanto carinho recebera, mudara. Afastara-se da família. Nem mais para a filhinha ligava.
Metido em confusões,nada muito bem explicado, mas presumido, assim toda a família via os fatos acontecerem.

Eles viam que o perigo os rondava e à sua netinha, criada com todo amor por eles, desde pequenina!

Andavam em todos os cantos buscando proteção  à netinha e nada lhes era fornecido.Nada que os agradasse e fosse realmente eficaz. Por onde passavam, apenas bla,bla, blás...Nada que lhes desse a segurança.

Estavam tristes e precisavam falar.  Enquanto sua hora com o doutor não chegava, desabafaram com os primeiros ouvidos a lhes dar atenção, Lenira e o esposo.

Lenira a cada palavra, mais apavorada ficava.

Ela sabia da situação da "justiça" no país, que nada tinha de eficaz, mas nunca imaginou que em casos assim, alguém tivesse a coragem de deixar aqueles avós, na mais profunda sensação de impotência!

Nada podia ser feito, lhes haviam dito. Afinal, NADA de grave ainda havia acontecido. A netinha nem havia sido sequestrada por marginais,pedindo dinheiro, talvez com o pai ao lado. A menina, nem tinha sido retirada da escola, ninguém havia sido FORMALMENTE ameaçado...

Teriam que esperar algo grave acontecer!

A princípio Lenira até acreditou não ter  aquele casal  esgotado todas as fontes, mas perceberam que eles usaram todos os caminhos,desde Fórum até Instituto da Criança e Adolescente, além de advogados particulares.

Pobre casal!

Estava nítido em seus rostos e documentação, todo trabalho feito pela netinha durante tantos anos.Estava visível a emoção ao falar nela também.  mas o que também estava visível, infelizmente, era a sensação de tristeza, de não valia de avós que tudo deram, tudo fizeram e nenhum resguardo  tem...

Era realmente um caso especial aquele, pelo fato do filho deles  não ser uma pessoa como todas as outras...Mas mesmo assim, Lenira e o marido, compartilharam daqueles sentimentos todos e, mesmo sendo desconhecidos, sabiam que falavam a verdade.Podiam ver até seus  corações.

_Chega a hora da consulta no Dr, pela qual esperavam.

Após um tempo, saem de lá e o homem  passa por Lenira e diz:

_Estamos indo diretamente ao hospital. Parece que  minha esposa teve  um derrame!

- No entanto, esta, ainda fala:
-Vou sair dessa!  Tenho a menininha a me esperar!

Força, coragem desejam os dois aos desconhecidos, mas já nem tanto assim...

Após saírem do consultório, com suas receitas, os dois pensam e repensam sobre a vida!

Injustiças, desmandos, no entanto, quando o amor é forte como o deles pela menina, tudo suportavam...

E rezaram, para que aquela mulher resistisse e voltasse pra casa.  A menina agradeceria com o mesmo carinho e sorriso de sempre, com certeza.  E assim, valeria a pena,

Até hoje, Lenira quando pensa em desanimar por um ou outro motivo, lembra na força daqueles dois...

Avós que desmedidamente se amavam e amavam aquela netinha! E, pessoas assim, não poderiam ser maltratadas pela vida!  É o que eles esperavam! Que ainda que a justiça dos homens não fosse feita, que a divina se fizesse, de qualquer forma!

Tomara pudessem ser felizes e que o "nevoeiro" em suas vidas se dissipasse! Chegasse a LUZ!
Era tudo o que pediam!!!