♥ Encontros à lua nova... ♥


Essa é minha participação na 1ª Edição  do Momentos de Inspiração

Tarefa:
Postar a foto em seu blog
 Analisar a foto e escrever em forma de conto, carta ou poesia.


(((o)))o(((o)))o(((o)))


Rosa sempre sonhara com uma mãe que historinhas lhe contasse.

Mas nunca a mãe com ela "perdia" tempo...
Era muito ocupada em comprar, gastar o dinheiro que o marido tinha ou parecia ter para a agradar.

Os dias eram passados apenas pensando em SUA beleza, SEUS vestidos, coleções de miniaturas estrangeiras, chocolates, do bom e do melhor.
Claro, para ela, os nacionais não serviam.
Seu gosto era refinadíssimo.
E na facilidade com que lhe caíam às mãos as carteiras recheadas ou  os livres e gordos cartões de crédito, tudo ficava fácil. Facílimo!!!

Porém era SÓ isso seu viver!  Futilidades!

A filha? Por certo nascera por um descuido.

Rosa um dia adoeceu. Febre alta, delirava.
A empregada a cuidava...
Não resistiu e ainda pequena, com apenas nove anos, faleceu!

 Morreu sem conhecer a mãe que sonhara!

Porém Lia, a mãe, agora, após a perda, estava triste.

Dera-se conta do precioso tempo perdido!

E lá da outra dimensão, Rosa a chamava...
Às noites , quando a lua estava em sua fase nova, era o momento preferido.

Nessas, aparecia em sonhos para a mãe.  E esta em sonhos lhe contava histórias, fatos de suas vidas que não puderam viver...

Assim, como a lua nova, Lia também vivenciava uma nova fase em sua vida!

Esperava com ansiedade cada novo ciclo e nele, recuperava o tempo que perdeu em vida com sua filha!

Tinham sempre um novo encontro marcado.
A cada historia contada, uma página do livro virada.

_ Mamãe , o livro está terminando!
_Não te preocupa,filhinha!

É hora da mamãe chegar até ti e te abraçar e, sem de livros precisar, muitas histórias te contar!

Após duas novas lunações, Lia morreu feliz!

Lá as duas, agora com vestes angelicais estavam juntas.

Recuperariam tudo, pois o amor era maior que tudo e o perdão de Rosa, tudo transmutou!

chica





até lá e participe!

Uma iniciativa da Irene e vamos dar força. Vale a pena!

 Cada vez temos menos pessoas interessadas em criar formas de nos fazer escrever, pensar, criar.

E isso é tão legal!

Eu, enquanto der, estarei quebrando minha cuca e escrevendo, do meu jeito, claro, sem pretensões.

Apenas para derramar o coração!

beijos,chica