♥ O portal... ♥

*Imagem:as aquarelas de Youwei 


Era chegada a hora...

O portal do passado estava à sua frente.

Precisava por ele passar.

Sentia medo!

Sentia-se fraca, insegura.

Mas, para prosseguir adiante na vida, po ali primeiro haveria de adentrar.

Com coragem, pés tremidos, ossos até a estalar.

Pisa o primeira degrau. Estanca.Respira. Prossegue então!

Lá adentra e se apresenta.

_ Sou Loiva, a filha de Tereza. Podes sobre ela me falar?

_ Senta-te, diz-me aquela velha senhora.

Estás preparada? Há muito estava a te esperar!

Entre tremores e calafrios, passam-lhe arrepios...

_Acalma-te! Terás surpresas por aqui.

Assim, um pouco mais calma, Loiva começa a relaxar. Agora que ali estava, o que mais queria e precisava, era de todo o passado à luz da verdade focar.

A velha senhora, com olhos de mel, vai ao armário, que range ao abrir.

Na volta, traz uma caixinha de marchetaria marrom em seus variados tons. Dá à Loiva uma pequenina e quase enferrujada chave.

_Toma! Abre! É tua a caixa e o seu conteúdo. Num ímpeto, Loiva sai correndo com a caixa nos braços.

_Volta, menina! Volta!

Loiva, retorna e olhando para a velha senhora , encoraja-se. Gira a chave, abre.

Ali estão fotos,mais fotos. Bilhetes de amor, passagens de trem, lencinhos, papeis de balas, guardanapos de boca escritos com declarações de amor.

Uma foto lhe chama a atenção. Um homem, com um olhar forte. Tão conhecido!

Quase tonteia ao lhe olhar.

_Prossegue! Este é o teu pai!

Ele sempre te amou, te quis, porém o destino agiu...

Tens por parte dele vários irmãos.

Loiva que há muito algo desconfiara, a certeza agora tem.

Sentimentos inesperados, dúbios, incertezas, lhe chegam ao coração.

Julgava agora sua mãe.Por que fizera isso? Por que a traição?

_ Lê mais, olha os bilhetes, prossegue! Era assim incentivada pela senhora da casa, que agora sabia, era sua tia.

Ao ler tudo por ali,ao ver entre os dois, aquele homem e sua mãe, tanto amor e carinho, seu coração, de repente, se acalmou.

-Uma pergunta apenas fez:

_Por que só agora isso me foi contado? Esse homem, já está morto, nem um abraço posso lhe dar.

A tia, agora olhando no fundo da alma apenas lhe diz:

Dá à tua mãe o perdão, ela dele precisa para bem , esse mundo deixar...

Loiva agradece à tia, sai dali, leva seu tesouro.

Ao atravessar o portal , olha para trás. Não sente mais medo. Consegue até as flores lindas por lá perceber...

Retorna à sua casa, ainda que em meio à uma crise de identidade, sentia-se calma. Tivera coragem, enfrentara o passado.

E, sabedora dele, sentia um orgulho, grande, muito grande e cada vez maior, por seu VERDADEIRO PAI...

E esse, para ela, era aquele quem a criara e, ainda bem, esse ainda tinha por perto.

Podia e queria sempre abraçar!

chica