♥ Fraqueza...( E uma PAUSINHA!) ♥


 Edição Conto/Crônicas do Bloinquês

 Tema: "Eu não tenho a mínima chance com você"

(((o)))o(((o)))o(((o)))

Vera ali, tímida e insegura, tinha à sua frente, uma sala repleta de pessoas. 

Esperavam que ela falasse, fizesse o tradicional discurso de abertura  daquele projeto.

Olhares atentos, fixos em sua figura. Para tanto, ela caprichara nos preparativos.

Trajava uma saia à altura dos joelhos, blusa de seda lilás, que ajudaria na precisão e nitidez de suas palavras, conforme a sua intuição lhe falava sobre as cores.  Estava discreta, clássica, sentia-se bem.

Iniciando o trabalho, as costumeiras saudações...

Desenvolve seu raciocínio,faz as explanações. 

Chega a hora do intervalo, onde uma grande e estreita mesa  colocada num salão, com café, chá, bolachas e salgadinhos.  

Nessa hora, um garçon se aproxima e lhe entrega um envelope.

Ao abrir , vê escrito: 

Sei que "eu não tenho a mínima chance com você", mas não quero que a palestra finalize sem que eu  diga isso: 

Fiquei completamente apaixonado, ou quem sabe, muito atraído por você. A vontade que sinto é de te amparar nos braços,  calar tuas palavras com um beijo.

Não me identificarei aqui, mas tenho certeza que logo saberás quem sou!


Ao ler aquilo, fica totalmente desconcertada e é assim que guarda o bilhete na bolsa e retorna à sala para reiniciar os trabalhos.


Com muita força de vontade, consegue desenvolver a ideia principal do projeto e a manhã se encaminha ao seu final.

Teriam então um almoço ainda todos juntos os participantes e à tarde, seriam abertos os debates.

Vera sentia-se vigiada e estranha. Sem querer , desconfiava de cada um que dela se aproximasse, embora nada via de concreto que mostrasse ser a pessoa do bilhete.

Assim, tudo andou por lá.  Debates, mesas redondas, chega ao final o dia e então, as despedidas de todos, aplausos, agradecimentos.

Vera encaminhando-se para seu carro no estacionamento, vê Mauro, seu marido.

_O que fazes aqui?  Não deverias estar  no escritório ainda?

_ Vim te ver!

_ Como foi teu dia? Tudo correu bem?
_Sim,mas ainda bem, acabou e o projeto parece ter sido aprovado por todos.

Seguiram conversando e Mauro arranca a sua bolsa. Procura o bilhete! O encontra.

 _E sobre isso, nada tens a me dizer? 

_ Ora, Mauro, por favor!
 Não me venha com teus ciúmes. Como soubeste disso? Quem te contou?

_ Ninguém!  Fui eu que mandei!  Era um modo de te testar.

Vera, indignada, furiosa, afasta-se dele. Entra no seu carro e resolvida estava.  

_Chega, pensava! Agora foi demais!  Não preciso disso!

Chega em casa antes dele, liga para seu advogado e pede que providencie a sua separação.  Não mais estava disposta a ser ofendida moralmente e humilhada, sendo testada assim.  Aquilo já acontecera , de outras formas, mas sempre a desconfiança dele estava presente.

Ao chegar em casa, Mauro quis explicar que fazia tudo por amar demais, medo de perdê-la, blá., blá, blás...

Mas, como nunca, Vera estava firme!
Decidida! Não voltaria atrás e assim foi.

Dias após, uma mensagem ao celular:

" Te perdendo, perdi a vontade de viver". Serás a CULPADA!"

Vera leu, releu, não tremeu... Apenas pensou.  

_Vai com Deus, seu fraco! Antes tu do que eu!

Apagou a mensagem e seguiu firme seus dias...

A fraqueza daquele homem a fizera crescer...

E estava certa, nada a atrapalharia! 

E sem chances para fracos!Isso ela sabia!!!

chica



* E de hoje até início de JUNHO, estaremos curtindo nosso filho que chega da Inglaterra.
Assim, deixo um beijo e INTÉ lá!


O único blog que ficará aberto é onde falo e mostro  apenas da família: http://canteirosdavida.blogspot.com.br/

Muitos o conhecem já! E só lá estarei, mostrando tudo,SE e QUANDO DER  chica!