♥ Esperas... ♥



Ed.CARTAS do Bloinquês:
TEMA:
Deixei um monte de bilhetes na tua casa


(((o)))o(((o)))o(((o)))

Ilusões da Ilha,7 de março de 1978.





Minha sempre querida Fani!


Apenas hoje, após tantos e tantos anos passados, sinto-me encorajado para te falar e contar a verdade, o motivo que nos afastou.

Antes, estragaria a tua relação, tenho quase certeza.
Tinhas por tua mãe um grande amor e confiança. Não queria ser eu a estragar essa linda amizade entre as duas.

Porém,agora ouve:

Naquele dia em que nos despedimos, quando da mudança de tua família para longe daqui , prometi que em breve,assim que terminasse o curso, te buscaria, casaríamos e ninguém mais nos separaria. 
Lembras?


 Quantas cartas para ti enviei!  Nenhuma resposta, recebi!

Recebi apenas uma, vinda de tua mãe:

_"Deixa minha filha em paz!  Ela está casada com outro rapaz, bom trabalhador, rico e a satisfaz.
É feliz e se a amas verdadeiramente, deixe-a assim, fique longe dela!  Te peço!"

Quase enlouqueci ao ler aquilo!

Numa tentativa vã, voltei à cidade, descobri teu endereço com tua mãe, deixei um monte de bilhetes na tua casa e simplesmente  os ignoraste.

Não imaginas como eu ficava à espera de tuas respostas, dos sinais que te pedia!

Achei que  ela estava em teu silêncio.

Porém, hoje, ao saber da morte trágica de tua mãe pelos noticiários, tenho aqui em mãos a carta que ela enviou, parecendo pressentir seu destino , dias antes dessa viagem, que seria a última de sua vida.

Nela se desculpava por tudo que havia feito para interromper nosso amor.  
Confessa que nunca te entregou nenhuma das cartas, que deu um endereço falso da tua casa, tantas artimanhas mais e diz-se arrependida, pois percebe que não és feliz!

Declarava ainda ter estado completamente enganada com o genro, que parecia ser um homem bom, elegante, trabalhador. Tudo ao contrário, contava-me ela.  
Falou das infidelidades, traições que te vez viver! Antes de terminar, colocou o teu verdadeiro endereço.

Contou-me enfim, o teu sofrer. Nem podes calcular o quanto isso me deixou triste. 

E é por isso que escrevo, mesmo sabendo que vives agora um período de luto.

Em todos esses anos, não vou negar, tive várias namoradas, quase fiquei noivo. Porém eras tu quem povoava minha imaginação, estavas sempre em minhas saudades e lembranças!

Assim, agora, tendo certeza que esta chegará enfim às tuas mãos, quero apenas um sinal  e esse pode vir mais rapidamente, através de um toque para o meu número.

É Fani, ainda bem, as coisas mudaram, tonaram-se mais rápidas. Te mando meus telefone do trabalho.Em casa ainda não foi instalado.

Julio .......

Fone: 99895  ramal 347

Poderia mandar o email que uso no trabalho  mas confesso que não sou nada bom nessas coisas, portanto...

Fico ansioso à espera de uma resposta e, saberei entender se ela não vier.  Apenas para lembrar e confirmar: 

-Te amo ainda! Muito, muito!!!


beijos,como os de outrora,que espero possam ser novamente trocados, Julio