♥ O amor disparou... ♥



Edição Conto/Histórias do Bloinquês:

Tema: "Estavas encolhida em um canto da sala, e quando eu a tinha sob a minha mira, eu fechei os olhos e puxei o gatilho. Foi como se eu tivesse atirado em mim mesmo, a diferença era que em vez de sangue, eu sangrava lágrimas."

(((o)))o(((o)))o(((o)))

O cenário era lindo,idílico e nós, enamorados, pela primeira vez à sós ,na casa de meus pais...
Tu me perguntavas a toda hora:
_Gerson, tens certeza que estamos sozinhos? Eu afirmava e reafirmava que sim.

Queríamos aproveitar toda oportunidade do momento...

Tudo ia bem, fluía o  amor e as carícias...

Tanto havíamos sonhado com aquele momento e para usufruí-lo tivemos muito trabalho para "driblar a segurança" e, enfim, o ter...

Lembro como se ontem fosse...

Mas nunca mais esquecerei a cena que, de repente, assisti...

Estavas encolhida em um canto da sala, e quando eu a tinha sob a minha mira, eu fechei os olhos e puxei o gatilho. Foi como se eu tivesse atirado em mim mesmo, a diferença era que em vez de sangue, eu sangrava lágrimas.

Tu, ainda assustada, já sentia alívio.
Guardei a arma de papai, na gaveta do escritório, limpei as lágrimas.

Aquilo me fizera lembrar de vovô que sempre cuidava de qualquer tipo de animal e inseto, os protegendo .

Porém, teus olhos amedrontados eram tão impressionantes, que tive que ter esse gesto.

Agora, a  enorme aranha caranguejeira estava morta.

Rosto limpo, nós dois recuperados, voltamos ao que antes ali nos tinha levado...

E, foi um lindo amor, diante daquele "cadáver"!

Nunca mais esquecerei!!!

Vovô, de onde se encontra, deve ter sorrido e nos perdoado,falando:

-Gerson,vai fundo e sejam os dois felizes.

Seguimos à risca, vovô!!!