✿ Sob o tapete da vida...✿


8ª Edição Cartas do Bloinquês
Tema: Dependência

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Terra do Amanhã, 12 de abril de 2005



 Minha querida  Josilene


Sei que talvez , pelo teu temperamento,nem leias essa carta até o final.Mesmo assim, como tua tia e madrinha sinto-me  motivada a escrevê-la, vendo  bem perto de mim, como estão teus pais, meus queridos irmão e cunhada.

Coisas vão se acumulando...Sendo colocadas sob o tapete da vida...

Pessoas que não caem em si, não sabem ou percebem suas responsabilidades...

Pessoas que se fixam em idéias e no entanto não tem ideais, ou muitas vezes os tem , mas nada fazem para alcançá-los.

Enquanto isso o tempo passa...A vida passa e não esquece ninguém...

Os bebês de ontem estão ficando grandinhos...

A cada dia veem e percebem mais aquilo que há por perto...

O que existe para ver?

De um lado, tudo que qualquer criança poderia querer pra sua vida... Carinho, atenção, cuidados e muito amor...

De outro, apesar de amor e carinho, a falta de vontade, falta de encarar a vida de frente, falta de olhar para o futuro com óculos que mostrem a real imagem e não desfocada, confiança demasiada que as coisas boas serão eternas e que tudo sempre será resolvido.

Que bastará para tanto ligar ou bater à porta de um endereço certo e pronto...
O milagre acontece então...

Surgem as coisas, necessidades de todos os generos supridas...

Mas nesse mesmo endereço, nada de sério, que preveja o futuro pode ser falado. Surgem logo as patadas, os rompantes e a saída de improviso...

Dizem que a vida dará um jeito...

Até para colégio poderão conseguir bolsas de estudo...Não há portanto motivos de preocupações!!!

Que bom que tudo fosse assim fácil!

Se tudo é realmente assim, por qual motivo nada é feito agora? Pra que esperar? Pra que? Por que?

Para que deixar preocupados os que já estão com os dias quase vencendo e ainda, o pior, deixar triste quem tem vida inteirinha pela frente?

Para que trazer problemas se não admitem planos para soluções?

Quem tem tempo pode fazer hoje, não precisa esperar o amanhã... Faz hoje ou no mínimo, seja humilde!


 Peço-te que ainda que amasses essa carta, fiques com ela em tua cabeça por um tempinho e que reflitas. 

Verás  , voltando a fita do tempo ,que  o que foi feito por ti não é nada em relação a esse pequeno ser que cresce a cada dia. A dependência de teus pais é total.Até quando viverás nesse faz de conta?
  
Te deixo um beijo e uma daqueles abraços que sempre te dei, bem apertado, com um sorriso nos lábios, pois sei que algo farás...

Tudo dinda querida, como me chamavas sempre ( e espero ainda poder ouvir  chamar-me assim)

Clarinda Maria