✿ Apenas um empurrãozinho...✿



76ª edição conto/história do Bloinquês
Tema: 
Encontrou um banheiro, onde se trancou imediatamente

(((o)))o(((o)))o(((o)))




Lia era "chegada" com Sto.Antonio...

Gostava de ver todo mundo à sua volta bem arrumado e acompanhado ... Via sua amiga Rose,que adorava um rapaz muito tímido e ela sofria por isso.

Assim, ouvia as lamúrias e choros da amiga e a aconselhava a desistir ou tomar coragem e se aproximar.

-AH, ISSO NEM MORTA, retrucava Rose.

A coisa foi crescendo e Lia via a amiga desanimada. Não estudava direito, não queria passear,apenas trabalhava, mas com a cabeça nas nuvens, pois era no mesmo escritório de Rogério.Estava se enterrando viva...Claro, exagero pensar isso, mas Lia era assim...

Numa noite de insônia, teve uma brilhante idéia...

Descobriu com amigos o celular do amado de Rose e, no dia seguinte, após pedir emprestado o celular de Rose, mandou uma mensagem :

"Sou apaixonada por ti e gostaria de me encontrar sábado, por volta das 23 horas no Bar do Leco.

Sou loira,olhos azuis e já me conheces porém , mesmo olhando para mim ao nos cruzar no trabalho, nunca nos conversamos... Tenho certeza, gostarás da surpresa.Te espero lá!

Rose"


Bem, essa parte estava feita, pensava Lia.

Agora, faltava convencer Rose a ir com ela até o local programado, no sábado.

Não foi fácil essa tarefa, porém chegou o dia e lá estavam as duas num papo legal, onde o assunto sempre acabava em Rogério.

Lia, sempre de olho na porta, após um tempinho, olha e o vê chegar,com olhos curiosos.

Agora, antes que ele nada visse ou não reconhecesse Rose, tratou de mandar uma nova mensagem, do seu celular mesmo, ali, diante da amiga, fingindo estar contatando uma outra pessoa...


"Estou com um vestido azul,mas roxa de vontade de te ver. Te espero! Rose"

Ela agora, olha e vê Rogério lendo a mensagem e após olhar para as mesas, se aproximando ...

Sentiu um frio na barriga e quando ele veio até a mesa e falou:

[ _Rose, és tu,não?]

tratou de sair de fininho e nessa hora encontrou um banheiro, onde se trancou imediatamente...Temia não ser perdoada pela amiga, caso descobrisse toda a armação.

Ficou ali por um tempo e para sua surpresa, aparece Rose e lhe dá um beijo.


_Já descobrimos tudo...mas demos boas risadas da tua imaginação...

Podes ir embora, se quiseres... Rogério nem é tão tímido assim...Vamos dar uma esticadinha agora...

Lia voltou para casa contente...O cupido funcionara.

Hoje , lembra desse fato, enquanto tem ao colo, diante da pia batismal, a terceira filha do casal amigo: Lia Mara, uma linda menininha,que está recebendo o seu nome!

Valeu mesmo a pena!

Estavam todos felizes e elas, a cada encontro, muito ,mas muito mesmo, a conversar e lembrar!

* imagem DAQUI