✿ Um presente escondido...mas bem à mostra!




Peter sempre fora um homem íntegro, trabalhador, cheio de qualidades.

Trabalhava desde sua mocidade numa empresa onde tinha sua capacidade intelectual e moral bem reconhecida por todos.

Em casa, todos também sabiam ver isso.Todos, menos um...Josué.

Os filhos cresceram , viraram "gente" vendo o exemplo que ele mostrava.

Miram e Vera, as outras filhas estudaram e trabalhavam e  embora ainda morassem com os pais, eram financeiramente independentes.

Um dia, Peter, já velho notou que as economias estavam escassas, pois  as despesas com a esposa que ficara doente de tanto sofrer pelo comportamento do filho, eram muito grandes.

No entanto, Josué, ainda se achando no direito de exigir e mais pedir, foi até o pai que já  quase não o escutava.

- Pai, preciso de grana!

_ De onde vou tirar, filho?

_Sei lá, mas preciso! E se não temos  mais nada, quero que vendas a casa pois tenho parte nela. Fiz uns "trampos" e preciso de grana!

O pai, responde c m voz fraca:

_ Filho, passate a tua vida toda sem prceber o presente que te deixei.

_ Presente, velho? Presente??? Não lembro de nenhum!

_ Ora, filho! Vem cá, chega mais perto!
Só tu não o vês e sabe o motivo?

 _ Fala logo, velho! Anda! desembucha!!! Não tenho tempo pra esses papinhos. Tenho um joguinho de futebol com os amigos.

_ Pois ouve bem:
Te dei o maior presente que um pai pode dar: um NOME limpo, digno  e reconhecido. Um presente lindo, usado todos os dias, embora "escondido"...

E tu? O que fizeste com ele?O que vais entregar à Mariazinha, tua filha tão linda?
Tu o passarás à ela já sujo, desacreditado...

Tive um grande trabalho para  construir esse bem e em poucos anos tu o enlameaste, sem pensar que ele não era apenas TEU.

O filho sai batendo a porta, furioso, esbravejando, como fazem os que não tem razão.

O pai, triste, voltou ao quarto para atender a esposa com o carinho de sempre...

Fazia como se nada tivesse acontecido, embora por dentro aquela dor o machucasse muito.Mas enfim, segurando as mãos da esposa, pensa:
Para nós dois falta pouco tempo para usar esse nome.

Mas mesmo assim, ainda se importavam com   ele..Era um grande bem!