* Brilho nos olhos...


7ª Edição Gênero-situação do projeto Créativité


(((o)))o(((o)))o(((o)))

Beth voltava do hospital onde sua mãe estava internada.

Sentada, triste, pensava em como era sofrida a velhice que tirava a independência, dignidade e saúde das pessoas...

Estava tão absorta em seus pensamentos que nem percebeu que lágrimas rolavam em seu rosto...

Lágrimas essas que foram notadas pelo seu parceiro de banco, no ônibus.

Era um senhor, já idoso, com olhos azuis bem brilhantes, que lhe perguntou o motivo das lágrimas e se podeia ajudar...

Ela contou tudo, abriu o coração e o Sr.Roberto, agora já apresentado, pediu que ela olhasse bem para ele.

Ela o fez e então ele perguntou:

_O que vês? um velho que por acaso não merece viver...estou sofrendo?

_De modo algum! O Sr. está muito bem!

_Tenho 89 anos e muiiiiiiiita vontade ainda de viver.
No entanto, minha família, quando estive um período doente, quis me internar, julgando que meu fim estava próximo.

A conversa entre eles fluiu e chega a hora de Beth descer em seu ponto.

Nessa hora separaram-se com muito afeto: ele, de dentro do ônibus, ainda disse adeus, com a mão. Conservou-se à porta, a ver se, ao longe, ainda olharia para trás, mas não olhou..."

Ao entrar em sua casa, sentia-se mais aliviada e com uma certeza: aquela conversa, havia  mostrado uma lição.

Não podemos generalizar...Alguns sabem chegar bem à velhice e a constroem desde cedo e merecem gozá-la o melhor possível.

De repente, quase sem perceber, fecha os olhos e faz uma oração.
Pede que sua mãe seja cuidada, que não sofra e pede ainda proteção ao seu novo amigo, o Sr. Roberto.

Pouco tempo de contato com ele, uma pessoa experiente, havia servido para ela ter outra visão acerca da velhice...

Ela também trataria de construir a sua o melhor possível, tijolinho por tijolinho e para tanto, deixaria de usar o ônibus...faria sempre que possível, suas caminhadas!

Isso já era um  bom começo...