* Uma loooooooooooooooooonga espera!



Mirtes morava num vilarejo bem, distante de tudo.
Casada com João, tiveram cinco filhos...


À medida que estes cresciam, rumavam para a cidade e ela e João, o marido ali no campo a trabalhar.Só trabalhar, agora, nem mais filhos podiam fazer...


A cada um que ia embora, o coração doía um pouco mais.


Sua vida era um eterno esperar...


Esperava carta do Joca, da Lia, do Juju, da Biluca e do Chiquinho.


Ela triste chorava...


João dizia:


"- vai ti acustumá", ao que ela respondia:"


- Ô homi di Deus, sôdade num acustuma, dói!Ô Juão, vamu imbora pra cidade nóis tumém...Meu coração tá lá!"


"Guenta firme ,muié! Logu vô mi apusentá e cum us troquinho vamu pra lá tumbém...", ele respondia.


Passou o tempo...


Mirtes, de tanto trabalhar e esperar, morreu , dizem, de tanta saudade!


Agora ninguém mais olhava a caixinha e as cartinhas se acumulavam...


João não tinha coragem de olhar e nem adiantaria, pois nem ler sabia! Nem isso! Era tudo com sua "muié"...


Um dia, os filhos voltaram e encontraram apenas a casinha fechada, João tinha ido embora pra cidade....


No quarto do casal, na parede sobre a cama, um quadrinho, onde Mirtes havia feito um desenho, simples,rabiscos apenas, de um casal com cinco crianças, onde escreveu uma frase somente:


"Não espere acontecer.Faça!" chica