Olhem o que temos por no chica escreve!

Olhem o que temos por no chica escreve!
Basta clicar!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!
Basta clicar!

  ♥ Voando...♥
 

* Foto do Rui Pires ...




Outono lá fora.

Dentro de si, no entanto,  mais parecia inverno cinza e triste...Chovia...

Pela manhã, fazendo o que gosta tanto, lendo amigos e amigas, deparou-se com essa foto acima.

Estava saudosa de algo que nem ao menos havia vivido.  Como explicar?

Sentia saudades pelas vivências do marido com seus parentes na Itália, numa cidadezinha perto de Roma, Nerola. 
Linda cidade ,com apenas uma rua principal e um imponente castelo.

O marido sempre em suas narrativas lembra aquele bom tempo de infância, criado  com ajuda dos avós e tios, todos numa mesma casa grande, dividida por andares, onde em cada portinha, uma ramo da  família...

Trabalhavam na terra, camponeses. Cultivavam olivas, frutas, parreirais enormes...

Tempo de muito trabalho, conta ele.

Férias escolares eram lá naquele ambiente passadas e naturalmente a ajuda  aos mais velhos, era uma das programações lindas delas.

Acordavam antes do sol nascer e na cozinha, já o lanche preparado pela nonna e zias  para o dia de trabalho nos campos. Muito a fazer sempre em todas as épocas.

Do lanche, faziam parte figos apenas colhidos, ainda com aquela gotinha de açúcar, bons pedações de pão, peras, salames e até vinho para os mais velhos. Alimentos puros, sem agrotóxicos. Sabiam realmente  o que comiam ...

Ele cresceu, tornou-se homem e, por circunstâncias da vida, atravessou o oceano.

Nova vida por aqui, tão diferente da de lá!

Trabalhou, tiveram a sorte de se conhecer, casaram, vieram filhos e muitos netos...

Muitas vezes pra lá voltaram.
Ela tudo aquilo viu, conheceu a família, ainda com  os tios e tias .. Hoje nada mais existe ou muito pouco... 

As terras, que a tantos sustentaram, deixadas pelos   mais novos que buscam outra forma de viver...
Tudo abandonado ou vendido. 

Nada mais daquelas memórias está presente.

Sua Itália está diferente...

Sua Nerola, não é mais a mesma...Cresceu, mudou, pessoas se foram, outras bem estranhas lá chegaram...

E  hoje olhando a foto, saudades  mesmo sem ter tudo aquilo vivido na boa época...

Mas como a vida dá voltas e mais voltas, um dos seus genros, entre outra atividades, aqui no Brasil, está iniciando o cultivo das olivas, trabalho de formiguinha. ainda. Tudo apenas tomando forma.

E o casal pensa e lastima não ter mais o Nonno, a Nonna, o Zio Totto e zio Mário pra poder  contar essa novidade que tanto os alegraria. 

A cada visita lá, eles tinham o maior orgulho de dizer e presentear com o que diziam ser o melhor azeite do mundo.  E era mesmo muito bom!

Orgulhavam-se dele, colocavam amor em cada etapa desde o plantio até a colheita e extração... Só podia dar coisa bem boa!

Hoje, com a chuva lá fora, ao ver essa foto, a imaginação voou ...

O balanço que aparece,  mostra ao seu ver,  que sempre fica um doce embalo da criança que em nós habitou e de quem nunca podemos nos perder!

O tempo passa depressa demais e por isso, viver cada momento é preciso...
Recordações boas ficam e nos marcam pra sempre!

chica

* Tão logo vi essa foto lá no blog do Rui Pires, logo minha imaginação  voou  e resolvi escrever...

13 comentários:

  1. Um voo maravilhoso que esse texto nos fez transportar aqui deste lado.
    Obrigado pela partilha dessa foto e por todas essas lembranças que fez soltar!
    Adorei!
    Espero que esse cultivo de oliveiras surta bom efeito e seja um sucesso!
    Mesmo sem possibilidade de vir por estes dias à blogosfera, após seu alerta no email, não podia deixar de vir dar uma olhada!
    Abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  2. Que lindo e maravilhoso momento querida amiga, um pasado presente cheio de vivências únicas que hoje clamam em forma de saudades vivas dentro de tão nobre coração ,beijinhos muitas felicidades

    ResponderExcluir
  3. Foto linda e a sua narração está espetacular! Tempos vividos e bem lembrados com todo amor...
    Bjs e carinho...

    ResponderExcluir
  4. Chica,quando li a sua postagem lembrei dos meus avós italianos por parte de pai que tiveram essa vida,depois embarcaram para o Brasil ainda jovens(casados)para tentar uma nova vida aqui.
    Adorei ler.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito, Chica; dá perfeitamente pra sentir a emoção que a inspirou. Mas, acredite, por mais que tudo mude, algo fica... nem que sejam as lembranças! :) Boa semana, fiquem bem.

    ResponderExcluir
  6. Oi Chica,
    Sou curiosa e, após ler o post, corri para ver Nerola. A cidade é linda e bem pequenininha!
    Amei o post e a ciade.
    Bjs (mas sem gripe, pois estou gripadíssima)

    ResponderExcluir
  7. Voastes na imaginação, no sonho, na expressão da delicadeza. Uma bela crônica

    ResponderExcluir
  8. Chica você colocou a alma em tua narrativa, nossa fui viajando e sentindo a delicia daqueles tempos na Itália, o pai de minha nona tinha plantação de olivas, fiquei também imaginando, tem razão em sentir saudades do que não viveu, porque me parece que o passado é tão mais doce, mais aconchegante do que os dias de hoje, bjos e obrigada por tão belos momentos

    ResponderExcluir
  9. Que delícia de texto, querida Chica, à medida que ia lendo, construia as imagens na minha mente, muito bacana, gostei demais.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  10. Às vezes, os acontecimentos são narrados de tal forma, que gravam intensamente na memória, dando-nos a impressão de que deles também participamos. Belo texto Chica1

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
  11. Chica, que postagem mais linda!!! Viajei nela, nos sentimentos, nas lembranças...Senti por aqui um cadinho de saudade de meu nono e minha nona...queria poder voltar no tempo para questionar mais sobre o passado deles e da família, meu nono era caladão, era difícil arrancar uma prosa dele...
    Obrigada pelo presente de tão linda postagem!

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Chica,
    Posso imaginar quanta nostalgia de tempos passados na Itália por seu marido e tão bem revividos aqui pela Chica!
    Na minha aldeia foi praticamente igual e ainda guardo muitas lembranças apesar de só lá ter vivido os meus primeiros treze anos.
    Sobre a foto acho lindíssima! Pendurado numa oliveira num cenário semelhante o meu avô construiu para suas três netas um baloiço como esse. Saudades!
    Um beijinho e obrigada por partilhar tão linda história real.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Chica. Lindo o seu texto, a lembrar-nos a efemeridade de tudo nesta vida e que, apesar de tudo passar, ficam as memórias dos bons momentos! Beijinhos

    ResponderExcluir

✿ Coisa boa te ver aqui!beijos,chica ✿