♥Tristeza e revelação... ♥

daqui


Jéssica havia passado pela perda de sua mãe. 
Estava triste,mas a vida tinha que seguir seu rumo...
Precisava abrir sua casa, teria que enfrentar... 
Abre uma festa daquele quarto onde nunca antes,vira uma cama por arrumar.
Ela sempre ao sair de casa, deixava pronta, esticadinha.

Dizia:
_Posso não mais voltar!
E realmente não mais voltou daquele hospital...
Abre, espia, logo o espelho aparece...
Diante dele, quantas indecisões. 
_Com que roupa vou: estou bem assim?

Entra, vê os enfeites nos abridores das portas do velho armário...
Um verde, outro vermelho.
Pareciam sinalizar:
 _ Proibido! 
_Permitido!

Tem tentação de ir primeiro ao que imaginava PROIBIDO!
Abre cuidadosamente a porta. Crack, ela faz...
Olha por lá, tudo em ordem. Roupas surradas, bem usadas, impecavelmente dobradas.

Vai ao outro lado, tudo assim também...
Mas ela tem certeza que a mãe escondia um segredo...
Nunca deixava aquele quarto aberto. Sempre trancado, chaveado muito bem, sempre que saia!

Enquanto remexe, começa a separar roupas para doação.
Fica ali, sentindo o cheiro da mãe nas peças que escolhe.  Mas não é justo guardar tudo.
Tenho que desapegar, pensa.

Fica ali, as horas passam.  Já quase ao fim do dia, abre uma caixa ,dento de outra caixa e nessa última, uma folha de papel onde lê:

" Querida filha!  Sei que tão logo eu me for, farás o que sempre te foi proibido: mexer nas minhas coisas...

Estarei ao teu lado e de onde estou, verei teu rostinho lindo, certamente com lágrimas escorrendo, ao ler que não fui daquelas mães de ficar abraçando, beijando a toda hora. 

Fui fria,posso até ter deixado passar essa ideia, mas os sentimentos, esses quentes.  

Sempre exigi muito de ti e do teu irmão. Porém esse, meu jeito de amar. O amor  demonstrado nas atitudes do dia a dia, nos cuidados com vocês...

Mas nunca esqueçam que amei muito, muito e estarei sempre estendendo meu olhar, daqui desejando o melhor pra vocês! beijos da mãe Gertrudes"

Jéssica leu apertou entre o peito com carinho.  Pensa:
Essa mamãe, sempre aprontando e até isso planejou!  

Consegue um esboço de sorriso nos lábios.
E olhando para o espelho,o dedica à mãe!
Ela mereceu!

Sai do quarto, pensa em terminar no dia seguinte aquela tarefa, para levar tudo à uma instituição...
Num impulso, volta, chaveia a porta.  

Parecia assim, estar ainda obedecendo  a sua mãe!

chica

* Inspirada na imagem!