♥ 43 motivos para multiplicar, dividindo! ♥

Imagem daqui

Meio do campo aberto, numa casinha pequena como um ovo,
nada, nem ninguém por perto, ali quase que se escondia, Gilberto!

Homem rude, poucas palavras, quase nenhum estudo..
Ali, decidiu esconder-se do mundo  após uma desilusão.

Fora abandonado pela mulher que o trocara por outro levando o filho, João.
Vivia ali, sozinho, comendo o que plantava , vivendo à margem de tudo.

À noite sempre rezava, olhando para o céu:
_Senhor, traz um dia meu filho João pra perto de mim!

Dia a dia a cena se repetia e nada na vida de Gilberto, fazia crer que um dia seu pedido desse certo!

A única coisa que fizera questão de trazer consigo, fora a placa de sua antiga casa. E, lá naquele descampado, colocou o nº 43 diante de sua casa, quase ovo...

Aquele número lhe falava alto, lhe fazia bem . Dava assim a sensação de um endereço , de verdade possuir.

Lavava suas roupas, plantava um pouco, o resto do tempo , olhava ao longe.Muito longe!
 Acreditava que por lá ainda haveria de ser feliz.

O tempo malvado passava depressa. Gilberto cada dia mais velho estava.
Mas aquela esperança, nunca o abandonava.

Uma febre de repente...Arrepios pelo corpo, tremedeiras...
Delirava e nessa hora, viu João chegando, perto dele sentando...

Ele , mesmo delirando, esticava os braços, pegava sua mão.
No entanto João...Ah! Que frieza vinha daquele menino, hoje homem, João!

Que pena que o tempo passou ele dizia ao filho que, nem olhar direto aos olhos ,queria.

Foram minutos assim de sufoco,..
Suores, mais tremedeiras...

.......................

E, eis que de repente Gilberto acorda! Vê que está deitado numa cama..Homens ao seu lado, usavam branco avental.
_ Onde estou? Morri?

_Não papai! Apenas nos deste um susto!  Caíste da escada ao pintar nossa casa e estavas no segundo andar.
 Tiveste muita sorte que logo, uma ambulância pra cá conseguiu te trazer.

Foi um susto, papai!  Eu e mamãe estávamos com muito medo que tivesses te machucado. Mas, pelo visto, apenas uma forte batida na cabeça. Ficou nela  um ovo...

 -Ovo? Ovo? pergunta Gilberto!

E logo a seguir recorda do sonho que tivera no seu delírio.

_ Sabes que sonhei que morava numa casa em formato de ovo,no meio de um campo.Lá, de casa, apenas um varal e o número da placa: o endereço dela. Era número 43.

Lá eu vivia te esperando, sozinho até que... Bem o resto já sabes!

 João o abraçou e após a alta médica, olha para sua pulseira  que o identificava lá no hospital e nela lia-se:

Gilberto Eggs- Leito 43.


Olharam novamente um para o outro, saíram felizes e foram direto encontrar a esposa e mãe que em casa os aguardava...

Lá ,felizes, nem se sabia quem mais chorava!

O tombo, desmaio, delírio, sonho e a coincidência agora faziam parte do passado.

E, pela frente, havia muito a fazer...Muito por lá o esperava, para ser pintado.

Agora, ele valorizava mais ainda as cores de cada parede daquela casa que não era um ovo, não tinha "casca" frágil, mas que todos nela, como na vida, deviam cuidar...

Todos estavam juntos novamente e por isso, grande motivo de estarem contentes!

No dia seguinte, ao sair para o trabalho, João, o filho passa numa lotérica ,compra o primeiro bilhete com final 43 que encontrou...

Encontra: e à tardinha dá ao pai!

Agora, velho!  Vamos ficar torcendo, na esperança que teu sonho tenha sido um aviso...

Na hora do resultado, dias após,juntos conferem.....

A cada algarismo que conferia com o seu número,a tensão aumentava.......
Faltava apenas o três...

João, branco, escuta o último.  Era o deles!

Emoção, pulos de alegria...A pequena família, abraçada, de joelhos agradecia!
Mas, de antemão, uma coisa já por lá se sabia:

O hospital grande parte do prêmio receberia.Uma ambulância nova para lá doaria.   Assim, muito melhor eles se sentiram, sabendo que o prêmio  recebido, com tantos outros seria dividido!

Todos podiam ganhar. A felicidade era para eles assim...

Um pouco pra eles, outro pouco pra mim... Dividir para ele ,era multiplicar!


* Iniciando as férias e, em ritmo bem mais lento, reponderei aos comentários, sempre que a conexão deixar.  Esse blog e mais alguns ficarão abertos,como canal de comunicação com todos vocês. Isso me faz bem aqui(ainda estamos em casa) ou lá!

beijos,chica