♥ Uma certa magrela...♥





Oscarino  fazia sempre o mesmo trajeto:

Casa/fábrica...
Após trabalhar por lá mais de dez horas:
Fábrica/casa.

Sempre com sua magrela, inseparável, a quem apelidara de "Fusquinha".

Em casa, Belarmina , que com dificuldades se movimentava ora com bengalas, ora com a sua cadeira de rodas , o esperava com o jantar pronto, banho, cama e outro dia igual iniciaria....

Aos fins de semana usava a Fusquinha para ir ao mercado, onde abastecia a casa com os víveres.
Essa era a rotina.

Não tinha divertimentos especiais. Aos domingos, missa e futebol no "radinho" de pilhas.

Belarmina, sabia dessa rotina,nem reclamava.Se resignava. Amor ela não tinha,pobre coitada!

Um dia, Oscarino chegou em casa antes, olhos vermelhos, sem sua Fusquinha...

Belarmina o ouviu e até secou as lágrimas de seu rosto., enquanto ele lhe contava:

_ Acabou... Fusquinha resolveu se rebelar e em duas partes se quebrou...

No dia seguinte, Oscarino acordou mais cedo. Não admitia atrasado no trabalho chegar.

Foi à pé,trabalhou e voltou mais cansado ...
Ainda estava arrasado...

Mas uma surpresa o aguardara:

_Uma nova bicicleta, já usada, mas em bom estado, encostada na árvore  o esperava...

__Belrmina! O que é isso? De quem é essa magrela?

_ Tua!

_Como?

 Belarmina então contou que   com dificuldade até um empório chegou e em troca do seu único anel,ela  conseguiu comprar e pediu para um amigo ir lá na árvore colocar.

Oscarino ficou emocionado.

Não havia para ele, prova maior de um amor.

Naquela noite, a rotina naquela casa até mudou e surpresa:
Até atrasado, no trabalho Oscarino, no dia seguinte chegou!!!


* Inspirada na imagem  daqui desse site.