♥ Na hora certa... ♥

Foto da Lis Costa

Edição Musical do Bloinquês:

Tema: Depois de tantos desenganos

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Saudade daquela casinha ,onde outrora tanto amor existiu...

Foi o mote para que Vera, rebuscasse seu passado...

Os dias pareciam ter passado tão rápido depois daquele dia.
Ela evitava de nele pensar.
Foi naquele dia que tanta tristeza ela viu...
Um filho ali deitado, precisando de atenção, sem atendimento médico, sem nada, apenas ela e o menino.

O pai na roça trabalhava, aquela hora estava longe, bem longe, no campo a plantar.
O filho, de repente, mas, muito mal, a olhou e o último suspiro lá deixou.

Hoje, passados vários anos, Vera foi ali  se refugiar...
O barraco quase desmontado, móveis pelos cupins consumidos.

Abre as portas, as janelas,  deixa luz entrar.

Senta-se, lá dentro, numa banqueta tosca, vê um raio de luz a em voltinhas lhe acompanhar.
Sente no corpo um arrepio.
Um calafrio lhe percorre o corpo.

Estranhamente, sente-se de súbito  aquecida. Uma linda onda de amor, toma conta de seu coração.
Sente o carinho, a energia de seu filhinho...

Fala com ele, chega a imaginar que o vê!

Fica horas por ali, se reenergiza a mais não poder.

Fecha a janela, ouve o barulho dela emperrada., créck, créck...

E com ele, ela de repente, acorda...

Olha assustada para o lado. Vê criadas, chegando logo, para  bandeja de café lhe entregar.
 -Ora, que sonho mais estranho tive! -Pensa Vera.
Era pobre, nada tinha, até um filho em meus braços, por nada ter, perdi.

No entanto,aqui, bem acordada, olho para tudo o que me rodeia...

Todo o luxo que tenho, não é nada, perto do calor humano que daquele serzinho, em forma de luz, no sonho eu recebi.

Daquele dia em diante, Vera passou a ter outro olhar para tudo o que a cercava.

Percebeu que o muito nada lhe importava agora. Preferia a vida  mais simples, mas onde realmente houvesse amor.

Falou com Rodrigo,o marido, um renomado, sisudo,advogado e  escritor.

Disse-lhe que em seus braços faltava algo e que no coração havia espaço para muito, muito  mais amor...
Não podiam ter filhos, mas Vera estava ali decidida a um adotar. Ele, enfim, aceitou.

Passados todos os trâmites legais, após encontrar um menininho, Neizinho pode com eles ir morar...

Tudo por ali mudou...Depois de tantos desenganos, felizes eles agora estavam, as riquezas eram bem divididas.

Aquele menininho, havia sido o raio de sol em suas vidas.

Vera nunca daquela casa ,nem do sonho haveria de esquecer.

Foi ele, o responsável, por lhe mostrar a hora certa e o amor tão lindo lhe trazer.

E até Rodrigo, sisudo e sempre ocupado com contos policiais,frutos do seu trabalho como defensor público, conta Vera que, pela vez primeira,  viu uma poesia para seu filhinho fazer e na hora de o nanar, passeia com ele no colo pela casa, a cantar...

.♪.♪
Neizinho,
Luz de nossas vidas
Onde estavas?
Andavas a nos esperar?
Trouxestes mais alegria às nossas vidas
agora vemos Luz em nosso lar!.♪.♪.♪