♥ Fermento no olhar... ♥




Edição Musical do Bloinquês

Tema:  ♪  Eu sonhei que estava exatamente aqui, olhando pra você ♪

(((o)))o(((o)))o(((o)))

A cena se repetia há anos...

Vitória saía do trabalho, passava na escola dos filhos, de lá, no supermercado e depois, terminava na padaria.
Pegava o pão quentinho, sempre guardado com carinho por Manoel, o dono da padaria.

Lá, cada criança ganhava um pirulito para após  janta e  iam para casa, onde a rotina era  normal até a hora de todos irem dormir .

E assim passavam os dias, desde que se separara de Pedro, um marido impertinente, desleixado e que esperava apenas que ela trabalhasse, enquanto ele ficava na moleza... Dizia não encontrar emprego. Também, sem procurar, quem o acharia?

Uma tardinha dessas , milagrosamente, as crianças estavam em casa com a vizinha, pois muito resfriadas, não poderiam pegar  frio e ela, aparece na padaria só.

Manoel a vê e após saber das crianças, ao entregar os pirulitos para a turminha que estava em casa, como habitual, ele acompanha  Vitória até a porta e pede se pode falar um pouco.  Ela  lhe diz estar com pressa...

_Serei  bem rápido!

_ Eu sonhei que estava exatamente aqui, olhando pra você, por tantas noites e nunca pude te falar.

Hoje quero te dizer que quando apareces aqui, é como se a alegria, a cor nos meus dias chegasse  junto...

És muito especial e nada te peço agora. Apenas uma folguinha nas tuas noites para que eu te visite e faça companhia.

Vitória ,enrubesceu...Corou de vergonha...

_Vou pensar e te aviso...

_Esperarei um sinal, deve agora vir de ti, nada forçarei...
Tal qual preparo a massa do pão e devo esperar crescer para depois assar, assim farei com o que sinto...
Esperarei, pedindo aos céus que o fermento seja bom...

Passam-se três dias e Vitória segue a rotina e junto com as crianças, já recuperadas, volta lá!

Durante esses dias, havia pensado muito na sua vida e na proposta de amizade do Manoel...

_Pega-se de repente pensando que até poderia acontecer mais do que uma amizade.  Mas teria que dar a resposta.

Chega lá, ele corre para servir as crianças com o doce, sempre lembrando que era para após a janta, e ao entregar o pão costumeiro à Vitória, percebe seus olhos brilhando, as sobrancelhas erguidas  que pareciam falar.
Entendeu o recado e naquela noite, foi até a casa .

Iniciaram uma longa conversa, enquanto as crianças já dormiam e foram para cozinha tomar um café...

Ali disse que seus olhos eram lindos, haviam  falado  de amor na padaria e agora via isso neles ali...
_Confirmas?Pergunta ele!

_Sim, para que perder tempo! Acho que poderemos nos permitir ...

E assim o primeiro beijo arrebatador aconteceu... O primeiro de muitos em muitas e muitas noites...

Ela, mesmo sem ter dito uma só palavra, naquele dia, dera o recado... Os olhos não a deixaram muda...Falaram e falam até hoje, claramente,pra quem quiser ver ou ouvir, de um lindo amor que vivem...

Hoje, esperam o nascimento de sua filhinha, que já tem o nome escolhido e fará companhia às outras crianças da casa...

Esperam Clara e torcem para que seus olhinhos sejam expressivos tanto quanto os da mãe.


* Imagem daqui