♥ Tudo pode e VAI mudar... ♥



Esse era o cenário da  grande sala de espera daquele hospital.

Rute ali sentada ao lado de Pablo, seu marido.

Enquanto ele se preocupava em tomar copos e copos de água antes do exame, ela tudo olhava.

Como aquele ambiente estava fazendo parte  de suas vidas ultimamente.  apenas observava o vai e vem de pacientes, nada pacientes...

O entra e sai das salas...

O encontro da turminha de todos os dias ,onde notoriamente, as mulheres se destacavam pelo ruído de sua alegria, ainda que ali.

Trocavam idéias, receitas, remédios, ilusões e sonhos.

Os homens, bem mais comedidos, alguns liam, outros conversavam, mas tensos, sempre tensos.

Rute enquanto falava com o marido via tudo e pensava...  Olhava para o quadro, para as pessoas, para o teto, para o chão e aquele quadro não lhe saia da frente...

Via nele uma porta, de onde podia-se ver  o reflexo de uma luz. Via flores, dando vida ao fundo escuro.  Elas representavam o esforço, a garra,que  deviam estar sempre bem vivas  naquelas pessoas, daquele lugar, para depois, poderem passar para a sala de LUZ, dos raios que as levariam à CURA.

E Rute, pensava:
_ Quando  Pablo entrar para o exame, escrevo para não esquecer o que estou pensando...

Assim, ao chegar em casa, naquele dia , mesmo cansada, foi para o computador, viu a foto que de lá havia feito.

Deixou sua imaginação voar..

Cansada, sonhou, quase caindo da cadeira...

Sonhou que aquele cenário , aquele quadro era diferente, BEM diferente... Havia mais LUZ, haviam raios que se espalhavam, saindo das flores
                                          [ garra e determinação}

O fundo escuro, quase nem se percebia.Aliás, ele dava o DESTAQUE  para as Luzes e raios

                                          [que levariam à CURA]

e depois, pela porta, passariam com seus brilhos, felizes...

                                         [ Iriam viver, por muito tempo ainda]...



Ao acordar, olhou para o novo quadro que à sua frente aparecia, mentalizou e à cada vez que entra na sala, o leva junto e nele se fixa, querendo a parte final para Pablo e todos daquele lugar.

E, quando Pablo entrou novamente na sala  do tratamento sozinho, ela olhou para aquele quadro e viu a florzinha vermelha lhe sorrir...

Ficou feliz! Era uma linda resposta!