Olhem o que temos por no chica escreve!

Olhem o que temos por no chica escreve!
Basta clicar!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!

Vejam no Chica brinca de poesia!!!
Basta clicar!

✿Todo o dia, todo o dia, todo o dia!✿



88ª edição conto/história do Bloinquês

Tema: Todos as noites ele(a) tinha essa atitude.


(((o)))o(((o)))o(((o)))

Pedro tinha com Josefa uma penca de filhos.
Eram sete boquinhas para sustentar...

Josefa só fazia ter filhos e deles cuidar.Estava sempre "embarrigada" e incrivelmente azeda.

Pedro, ao contrário, despertava às 05.00hs todos os dias, inverno ou verão ...

Ia ao banheiro, lavava-se com a pouca água que corria daqueles canos velhos e enferrujados, tomava um copo de leite frio, uma fatia de pão e lá se ia. Benzia a esposa e cada um dos sete filhos.

Entrava no trem, a que chamavam "transporte público", porém mais  parecia um modo de carregar gado. Iam ali todos os passageiros amassados.

Chegava no seu ponto. Descia, caminhava nove quadras e finalmente estava no seu emprego,  numa fábrica de pregos.

Ali testava um por um...Trabalho enfadonho e sem graça.
Apenas de vez em quando, encontrava um torto e sem condições de ser encaixotado.

Enquanto aquilo fazia, pensava na sua família e era apenas por ela que ainda estava ali.

Sonhava com o dia de sua aposentadoria.
À noite, antes de deitar ia de quarto em quarto, dava a benção para cada um, rezava, pedia para o Alto que todos os seus filhos ficassem bem sempre e depois, dormia abraçado à esposa.
Todas as noites ele tinha essa atitude.

O tempo passava, Pedro na sua rotina seguia.

Suas mãos, já trêmulas continuavam a bater o ponto, dia a dia...E bater pregos...

Os filhos ora já crescidos o viam naquela mesmice de vida.
- Pai, tu não sabes fazer nada! Nada sabes da vida. És bitolado como os pregos que fazes e inspecionas por lá!

Alguns  já trabalhavam e ajudavam um pouco em casa.

Um dia, Pedro saiu radiante. Iria buscar sua aposentadoria...

Papelada toda pronta, tudo entregue.Bastava esperar o dia de receber e então festejar...

Claro que com os filhos e Josefa,que a essa altura da vida, estava completamente despencada, mal conseguia caminhar.Cheia das dores!

Porém, o dia esperado  não chegou...
Pedro foi acometido de uma grave doença e morreu.

Da fábrica, no enterro,lhe foi depositada  uma coroa de alumínio , com flores de pétalas tortas, das mais simples possíveis,feia, horrorosa até, com cheiro de morte. 

Mas o pior cheiro era o da falta de reconhecimento...

Nunca haviam  pensado nele como gente.Nem os donos da fábrica, nem muito menos sua família...

Agora, sentiriam falta, muita falta daquele que como diziam, fazia tudo sempre igual, fazia da vida uma mesma rotina.... 

E , só agora, sabiam que fez e fazia tudo isso apenas por eles...


* Imagem daqui

41 comentários:

  1. UI, que vida trissssste!!!! Pobre Pedro!!! Aprendamos com essa história a ousar mais, a buscar a felicidade, a sair da mesmice...

    bjs e bjsssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Sabe Chica, morei quase toda a minha vida em uma cidade com muitas industrias, na Grande São Paulo.
    A maioria de seus moradores eram operários, de todos os níveis, e eu conheci muitos Pedros.
    Não que morreram antes de aposentar, mas que apenas trabalhavam e viviam para sua familia.
    Conseguiam construir uma casa a duras penas, e só.
    Envelheciam sem nunca ter viajado, sempre com o dinheiro muito curto, enfim, Pedros e mais Pedros.
    As Josefas então, às pencas...
    Sempre embarrigadas e de mau humor rsrsrs
    É minha amiga, a vida é cruel para as pessoas com poucas oportunidades.
    Mas vou dizer uma coisa, eles são felizes na vidinha deles. Nem sabe o quanto são marginalizados e sugados pelos poderosos.
    Gostei do assunto. Adoro falar sobre gente humilde. Meu pai não foi Pedro mas quase. Teve um pouco mais de sorte, e nós também, mas não foi nada fácil. Nada é, não é mesmo?
    Beijos querida, tenha uma boa noite.

    ResponderExcluir
  3. AH, amiga agora matou o véio aqui.Final triste,desta vez voce não deu uma de Neimar,mas sabemos como estas coisa acontecem tão naturalmente ao nosso lado.
    Paz amiga e todo meu carinho.
    Um carinhoso abraço.
    Tenha uma linda noite.

    ResponderExcluir
  4. É Chica... e nós também corremos esse risco aí...

    ResponderExcluir
  5. boa noite chica
    a ingratidão,mata,talvez foi isso que matou o pobre pedro.

    baci

    ResponderExcluir
  6. Muito, muito triste... Bjos amiga querida.

    ResponderExcluir
  7. Oi Chica, que historia mais triste... mas sei que infelizmente existem milhares por esse nosso mundo.
    Bjs e uma noite de sonhos coloridos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Chica
    Esta é a vida de muitos e muitos Pedros, que não podem se dar oportunidades, que não podem arriscar, pois precisam ter a certeza que no final do mês, o salário mesmo pequeno, garante o sustento da família.Mas, o mais triste da história foi a ingratidão sofrida por ele em vida.
    Beijos e uma boa noite!

    ResponderExcluir
  9. MEU DEUS!!MAS ELE ERA TÃO BOM PAI!!QUE GENTE MALVADA!!ADEUS PEDRO!!VC FOI UM HOMEM BOM!!BJS CHICA,MINHA FLOR!

    ResponderExcluir
  10. Oi Chica, tudo bem?
    Nossa, tão triste a história, achei que iria ter um final feliz.
    Família e patrão ingratos.
    Coitado do Pedro.
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Chica. Boa lição desta história. Lembrou-me Charle Chapin em "Tempos Modernos". Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Ops! charles chaplin! Beijos!

    ResponderExcluir
  13. É sempre assim amiga, o reconhecimento e a valorização sempre chega tarde. Isso, quando chega. Belo conto Chica. Ótima participação.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  14. Essa é a história de milhões de Pedros poraí afora!!!
    abraço!

    ResponderExcluir
  15. Não viveu, só existiu...

    Pecado.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Chica, uma grande verdade: Ninguém reconhece ou valoriza aquilo que alguém faz.

    Mundo de cao este. Mundo ingrato.

    Bjao

    ResponderExcluir
  17. Chica,

    Que história triste e linda ao mesmo tempo. Uma lição de vida.
    Acho que já fui um pouco esse "Pedro", mas graças a Deus que eu acordei à tempo, de mudar o rumo de minha história.
    Eles só nos valorizam enquanto damos produção. E muitos Pedros vivem assim, por medo de tentar alguma profissão e não conseguir adaptar.
    Mas foi nessa rotina e nesse trabalho tão medíocre que ele sustentou toda à família. É sempre assim. E ele foi tão eficiente, que fez falta após a morte. E a Josefá deve ter ido junto. O que faria ela sem um marido que a carregou nas costas a vida inteira, desentortando pregos?
    Beijos

    ResponderExcluir
  18. É um retrato da vida de muitas famílias, onde o pai é o supridor e mantenedor do lar. Triste história, porém real.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  19. oi Chica,

    e de quantos Pedros,
    são feitos nossos dias,
    vive tudo conforme se comprometeu,
    vivendo por muitos
    e ainda sendo criticado por todos...
    linda essa história...

    beijinhos

    ResponderExcluir
  20. Bom dia,Chica!!

    Bah!!Nem tenho o que dizer...é tão triste...E dói tanto não ser considerado gente...alguém...Muito triste.
    Linda participação minha querida amiga!!!!me comoveu as lagrimas.
    Beijos!!!!Lindo dia pra ti!

    ResponderExcluir
  21. Ao ir lendo eu pensei que resultaria num outro final. Mas gostei, também.

    Você já pode escrever um livro de contos...!!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  22. Chica,triste demais o seu conto!Uma história tão bonita de vida,mas que no final ninguem valorizou!Participaçao comovente!Bjs,

    ResponderExcluir
  23. Ai Chica, que triste isso, tantas coisas me vem à cabeça, a simplicidade da vida, a fragilidade de se passar por ela batida, a ingratidão, o merecimento, a passagem enfim...somos mesmo um grãozinho num palheiro...Bjo:}

    ResponderExcluir
  24. Chica
    Convivendo estes tres meses com a doença de meu tio, fico também imaginando os designios de Deus.
    Tio Nelson era um homem dinamico, que muitas vezes sutentou amigos , sobrinhos e filhos. Agora está ele em um hospital sem uma perna precisando de cuidados de duas enfermeiras vivendo diariamente entre febres, dores no coprpo, alementação complicada e dolorida.
    Mas tenho certeza que alguem daqueles que ajudou deve ser agradecido.
    Lá em casa seus sobrinhos e sobrinhas nós somos!
    Com amizade Monica
    Ficarei por aquia té domingo!

    ResponderExcluir
  25. AI Chiquinha...qtos Pedros tem nessa vida de meu Deus,né...triste, muito triste ! Mas super verdadeiro.

    Beijinhos

    aNA

    ResponderExcluir
  26. AI QUE DOEU NA ALMA..
    SABE CHICA QUE POR VEZES É VERDADE AS PESSOAS PASSAM A VIDA SE DESDOBRANDO, DO MODO DELAS PARA FAZEREM PELOS OUTROS
    E JAMAIS SÃO NOTADAS OU AQUILO QUE DA ,PRA ELE DEMAIS, É POUCO PRA QUEM ESTA RECEBENDO E É INJUSTAMENTE INGRATO.
    SABE, SOMOS ASSIM TEMOS ESTA CAPACIDADE DE NÃO VER AS COISAS PELO OLHAR DO OUTRO E AS VEZES O OUTRO ESTA DANDO TUDO QUE É DE MAIS BONITO E NÓS NÃO ESTAMOS ENXERGANDO ENGRAÇADO COMO AS PESSOAS SO DÃO FALTA DAS OUTRAS QUANDO PERDEM.
    SAÍ DE UMA VIDA ASSIM..DAVA O MELHOR DE MIM A ALGUEM QUE SÓ SENTIU MINHA FALTA DEPOIS DE UNS 30 DIAS QUE SAI DA VIDA DELE DIFICIL NÉ?
    MAS A VIDA DEPOIS COBRA, E A FALTA É DOÍDA DEMAIS
    TRISTE PRA QUEM FICA
    TRISTE PRA QUEM FOI...
    SEMPRE ASSIM

    BEIJOS QUERIDA
    OTILIA

    ResponderExcluir
  27. É como se os Pedros da vida não servissem para nada além de "servir". São pecinhas de uma engrenagem e só se percebe a presença, justo quando faltam.

    Quantos homens são Pedros por aí.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Chica
    conheci alguém como ele.
    Rotina, rotina, rotina, e o que ganhou???
    Passou a vida trabalhando e quando poderia descansar e "aproveitar um pouco a vida...se foi.
    É triste, mas quantos por aí tem esse mesmo fim.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  29. É, Chica, poucos são reconhecidos em vida, por mais que se doem ao próximo...

    Mas, como me disse uma vez, minha prima freira: - "Não devemos nos preocupar em recebermos reconhecimentos nessa vida, pois na outra, com toda a certeza receberemos!"

    É isso aí!!! :)

    Beijão pra você, menina.
    Fique bem.

    Cid@

    ResponderExcluir
  30. Quantos de nós não vivemos essa mesma mesmice e no fim ... nada!

    Beijinho e obrigada pela visita.
    Sofia

    ResponderExcluir
  31. Chica
    Vivo numa quinta que temos no campo, mas temos caa na cidade fica a 10km lá é conhecida pela terra do vidro por terem existido imensas fábricas de vidro, de plástico e de moldes, eram imensas, hoje nem tanto infelizmete todos os dias fecham.
    Mas existem muitos Pedros por este mundo fora. Existem aqueles que deixam de viver apenas trabalham, uns para dar estudos aos filhos que às vezes não dão valor, outros estudam e depois não têm colocação.
    Beijinho e uma flor

    ResponderExcluir
  32. Boba que sou, estou aqui com os ohos marejados de lágrimas.É uma história muuito triste, é muito ruim a ingratidão das pessoas. Mas acho que com a maturidade, os filhos saberão qual o valor de um pai assim.
    Parabéns pela crônica.
    Gd beijo

    ResponderExcluir
  33. É o lado injusto da vida!
    Beijinhos meus!

    ResponderExcluir
  34. Oi Chica, pior de tudo é não receber o reconhecimento da família...Abraços, Sueli.

    ResponderExcluir
  35. Oi Chica,
    Que estória triste...
    :(
    Beijos 1000 e um restinho de semana maravilhoso para vc.

    www.gosto-disto.com

    ResponderExcluir
  36. q triste!! lembrei agora de uma moça q trabalhava com minha irma, nunca a vi, mas fiquei sabendo de sua historia. era muito pobre e tudo q ganhava guardava pra q qdo se aposentasse pudesse ter um pouco de conforto. Comia muito mal, vestia-se muito mal, já q tdo seu dinheiro era pra guardar. Deixou de viver a vida, enfim, morreu acometida de uma doença, super nova, e sem gastar um tostão. tristissimo.

    beijos

    ResponderExcluir
  37. Muitas pessoas tem essa vida triste! Passam por ela com total sofrimento, com uma simplicidade enorme!
    Triste tua historia, mas muito verdadeira! beijos!

    ResponderExcluir
  38. Que triste história essa,mas vale pra gente pensar do modo que levamos a vida,a vida não é só trabalho ,pobre Pedro,beijos chica

    ResponderExcluir
  39. Que história triste,Chica!!!
    Muito bonita e muito verdadeira,também,pois nosso Brasil está cheio de Pedros,ou pedreiro como na música do Chico ou de operários como o de sua história...batalham,lutam e não veem reconhecimento nunca.
    Tive uma amiga que gostava de falar:-cansei de ser prego,agora quero ser martelo...mas o dia do Pedro ser martelo,não chegou.
    Bjssss,amiga Chica,
    Leninha

    ResponderExcluir
  40. Chica não consigo acompanhar-te, tenho pena porque as tuas histórias são muito reais e dão-nos uma lição de vida. O Pedro devia ter-se preocupado mais com ele, reconheceriam mais o seu valor. Beijinhos

    ResponderExcluir
  41. Oi Chica!
    Que triste! E o pior é que existem tantos Pedros por aí. Pessoas que passam despercebidas pela vida e morrem sem fazer alarde quase que pedindo desculpas por ter existido.
    Beijos!

    ResponderExcluir

✿ Coisa boa te ver aqui!beijos,chica ✿