✿ 127 e nada mais...✿




87ª edição conto/história do Bloinquês

Tema: Não havia mais nada naquela caixa na manhã seguinte.

(((o)))o(((o)))o(((o)))


Tereza, a faxineira da casa, ao chegar cedinho para trabalhar,não acreditava no que estava vendo...

Resolve então  ligar para Dirce e com ela desabafar...

_ Não sei o que está acontecendo com a D.Gilda, tua mãe.
Hoje cheguei em seu quarto, a vi atirada, desanimada . Seu rosto, embora pálido,mostrava saciedade...

Parecia literalmente "estufada"...

Porém, ao me ver, abriu mais um bombom e chof, chof,...Acabou! Já o havia engolido!
Isso, agora, antes das sete da manhã e sem ter tomado seu café ainda.

Olhei para o lado e vi ao chão, papéis de todas as cores.Eram de bombons e chocolates que ela devorara durante a noite.

Lembras daquela caixa de chocolates e bombons que trouxeste há dois dias e  estavam aqui para ser entregues  no hospital, no dia das crianças?

_ Sim, não vais me dizer...Responde Dirce já apavorada...

_ Digo sim... 

Não havia mais nada naquela caixa na manhã seguinte e hoje, me deparo novamente com esse quadro.
Certamente ela a esvaziara e deixara todo conteúdo bem pertinho de si, tudo planejado.

_ O que vamos fazer com mamãe? Espera que chego e a levaremos ao médico.Ela precisa de ajuda!

Tereza  desliga o telefone, vai ao quarto de Gilda, a vê de olhos revirados, imóvel.Observa bem,  tem a triste certeza...

Horas depois de tudo consumado, enterro, velório, Tereza e Gilda voltam ao quarto. Encontram uma caderneta de anotações onde se lia:

Estou feliz, vou festejar...

Minha filha HÁ DE SENTIR-SE CULPADA, por ter dado mais atenção às crianças e esquecido de mim...
Para cada problema comerei um bombom.
Assim...

1- contas a pagar
2- ingratidão
3 - doença
4 - ciúme
5 - ciúme
6 - ciúme
7 -  raiva
8 - ciúme
9 - não vieram me ver...
............................
57- já me sinto estranha
58 - ciúme novamente
...........

63-  novamente ,sinto-me feliz, muito feliz...

................................

121 - sinto pelas crianças, mas estou perto de acabar com meus problemas...Os bombons estão acabando...Quero acabar com eles...e comigo! Dirce há de levar para sempre isso na consciência...Só fica cuidando do netinho e eu aqui...

Nessa hora, as duas se dão ao trabalho de contar os papéis esparramados no chão ao lado da cama. Eram 127 -(cento e vinte e sete).


Se olharam, Tereza abraçou Dirce e as duas ao mesmo tempo falaram:
_Ela morreu feliz sim...Na sua cabeça, ao seu modo! Pena ! Foi feliz pensando me fazer infeliz!

Agora, vamos comprar novos chocolates para as crianças. Hoje é seu dia e em homenagem à quem mesmo não tendo sabido viver, elas hão de ter seu dia mais doce...

E além de chocolates, levaremos amor e esse ingrediente, minha mãe nunca soube dar à nada na vida...Coitada!

* Imagem daqui