* Tia Anita, a salvadora! rsrs...

Participando da 58ª edição conto/história do Projeto Bloinquês

Tema : Escondeu rapidamente o pacote, e foi atender a porta.

(((o)))o(((o)))o(((o)))



Numa manhã Elisa sente-se mal.

Levada ao hospital, foi necessária uma cirurgia de urgência  para retirada de  parte de seu intestino, necrosado.

Operação delicada, dias de hospitalização, volta à casa cheia de recomendações  e cuidados...

Não podia isso, aquilo, aquele outro. Tudo lhe era proibido fazer ou comer...

Mas lhe diziam: que bom que estás bem!
_Que bem, se perguntava ela?
Desse jeito???

 Emagrecia  escandalosamente m murchava como as flores e estava numa fraqueza de dar dó.

Os médicos insistiam naquele tratamento...

Um dia, aproveitando-se do marido no trabalho e de ter pedido à sua cuidadora para fazer uma lista  de compras, foi sorrateiramentec até o freezer.

De lá retirou um pacote cheio de codornas que estavam lhe "chamando Há um tempão...
Estavam prontas!Bastava  descongelar !

Nessa hora,batem à campaínha.
Ela escondeu rapidamente o pacote, e foi atender a porta.


Era Anita, sua tia que viera lhe ver, com ares de quem vai visitar uma moribunda.

_E então, sobrinha querida, como estás?

_ Com muita fome! Não aguento mais essa dieta que me está matando...

A tia  olhou bem pra ela , entendeu o que passava naquela "mente" , sabendo  o que  ela faria , DE QUALQUER JEITO e disse:

_Queres  que eu te prepare algo bom? O que queres comer?

_ Tiiiiiiiiiiiiiia Anita, és mesmo a tiazinha do meu coração!

_Quero aquelas codornas que estão naquele pacote ali, escondidas em meio à pilha de sacolas ...

Tia Anita pegou, aqueceu as codornas e saborearam as duas juntas, com ares de cumplicidade...

Haviam burlado as recomendações, mas foi por uma boa causa.

E desde aquele dia, as visitas de Tia Anita foram sempre bem esperadas e bem mais frequentes!!!

E Elisa, se salvou, sem mais remedios... Seu mal era fooooooooooooome!!!

E os olhos de tia Anita ficaram mais azuis do que nunca, com um brilho especial: o  da sapecagem pelo bem e até as flores criaram novo ânimo naquela casa! Sua dona estava melhor!