* A paz que vem do que gostamos...



(Texto escrito numa manhã de muita paz de espírito...)

Até tinha esquecido...

Enquanto escrevia e atualizava meus espaços de hoje, algo muiiiiiito interessante e "ótimo" me aguardava.

Cedinho, a máquina de lavar roupas resolveu jogar pelos ares, toda a água nela contida.

Isso, num dia maravilhoso de chuvas e umidade à mil, é o que poderia deixar qualquer dona de casa simplesmente maluca.

Sabem o que aconteceu?
Vi tudo aquilo, continuei a tomar o café, vi até a pobre Cuca, a cachorrinha flagelada, entre aquela água toda, com seu pote de comida inundado, e tudo mais...

Vim escrever, li o jornal e entrei no meu mundo, no das coisas que gosto.

Agora, saio um pouco dele, com, minha paz refeita e posso retomar aquilo que está lá, me esperando.

Serve a lição: não devemos nos amofinar com os imprevistos que surgem...

Eles podem perfeitamente esperar!

Tanto caberá a nós mesmos,não?

Pensar nas coisas boas, fazer o que gostamos nos dá energia suficiente para encarar...até assumir o rodo, o balde e os panos!!!

Tudo vale!

Mas, se fosse em outra época ou talvez, sendo mais realista, em outro dia, estaria tudo diferente e o pior, não teria adiantado nada!!!

(Chica, agora indo assumir as funções de encanadora)